Craig Wright, autoproclamado criador do Bitcoin, não é estranho a declarações controversas. Mas sua previsão feita em novembro do ano passado certamente se destaca como uma de suas maiores alegações.

Leia também:
++ O que vai acontecer com os 1500 bitcoins da Unick Forex?
++ Roger Ver ainda minera Bitcoin?!
++ Ver acusa Theymos de tentar deletar a história do Bitcoin

Novembro de 2019 deveria ser o fim

Em novembro de 2018, Wright afirmou de uma maneira bastante enigmática que ele tinha informações que essencialmente veriam o Bitcoin e o Litecoin “mortos”. A alegação fazia parte da ideia de Wright de que o atual BTC não é o Bitcoin real, como previsto por Satoshi Nakamoto.

++ Bitcoin ou Litecoin?

Por esse motivo, Wright se sentia preparado para sozinho destruir o BTC no mercado, embora esse feito esteja programado para 2020.

Mas a última profecia parece ter chegado e se foi sem cumprimento, faltando apenas 48 horas para o dia fatídico.

Feita durante a oscilação do mercado em baixa, a previsão de que o BTC e o LTC seriam moedas mortas não se concretizou. Na verdade, os ativos estão em ótima forma.

Enquanto isso, Craig Wright desapareceu do Twitter após um escândalo. Após críticas incansáveis da comunidade de cripto, Wright ameaçou várias personalidades da comunidade com ações judiciais, incluindo Hodlonaut e Peter McCormack.

Após tudo isso, ele excluiu todos os tweets.

Sua fama de Faketoshi continua

Quase um ano desde que Wright fez suas “revelações”, seu processo contra a propriedade de Dave Kleiman não está indo bem. Ao longo dos meses, Wright não mostrou nenhuma evidência de possuir nenhuma chave privada potencialmente pertencente a Satoshi Nakamoto. Wright também não pôde pagar Kleiman pela propriedade comum do BTC desde a mineração inicial.

Quanto às moedas potencialmente perdidas, o BTC, por agora, gira em torno do nível de US$ 8.800. O LTC também se recuperou para US$ 61,17, permanecendo relativamente estável por enquanto.

Wright mudou do apoio ao Bitcoin Cash (BCH) para criar inimizade com esse projeto e redirecionou seus esforços para o Bitcoin SV (BSV). Embora a BSV possua uma comunidade relativamente robusta, é difícil acreditar que em 2020 ela substituiria o BTC e muito menos assumiria seus mercados. Até agora, a BSV negocia em torno de US$ 128,28.

Wright é contra a solução SegWit para blocos mais leves desde o início. Em vez disso, a rede BSV está tentando escalar através da propagação de grandes blocos. Em condições do mundo real, os nós anônimos às vezes desistem da propagação de blocos acima de um determinado tamanho. Mas a rede BSV visa construir uma coleção de mineradores confiáveis ​​que teriam recursos para propagar blocos maiores que o normal. Acabando por trazer uma centralização maior à rede.

Fonte: Bitcoinist.