Esse mês trouxe uma nova onda de sentimento de alta para o Bitcoin. Em alguns dias, o BTC voltou aos US$ 50.000. Isso sinaliza o início de uma nova temporada de alta, no entanto pode significar cautela para os traders.

De acordo com o Coingolive, o bitcoin é negociado a US$ 50.735, com um ganho de 2,76% no gráfico diário. A primeira criptomoeda por capitalização de mercado foi rejeitada várias vezes na área de US$ 50.000, mostrando ser uma forte resistência.

Inclusive, vale notar, que o líder de crescimento da exchange Kraken, Dan Held, acredita que a resistência dos US$ 50.000 deve se tornar um suporte em breve.

Gráfico diário do preço do bitcoin.
Gráfico diário do preço do bitcoin. Fonte: TradingView.

Em um relatório recente da Arcane Research, a empresa acredita que US$ 46.000 a US$ 48.000 atuarão como suporte e um potencial intervalo de consolidação. Em uma eventual queda abaixo de 50 mil dólares, estes serão níveis importantes.

Apesar do novo teste acima de US$ 50.000, o volume de negociação do BTC está em declínio. Isso sugere uma falta de demanda que sustentaria uma subida profunda em altas anteriores, como pode ser visto abaixo.

Média móvel de 7 dias do volume diário de BTC. Fonte: Arcane Research e Bitcoinist.
Média móvel de 7 dias do volume diário de BTC. Fonte: Arcane Research e Bitcoinist.

No entanto, a Arcane Research acredita que o volume de negociação de Bitcoin será maior durante outubro e pode ser potencialmente semelhante a setembro de 2021, com uma média de 7 dias de US$ 4,3 bilhões.

Para que o Bitcoin tenha uma chance de retomar as altas anteriores, os touros provavelmente precisarão aumentar sua atividade e superar o volume de negociação atual.

Os dados on-chain, porém, também têm muito a dizer sobre as próximas movimentações do BTC. ​​Desde que o bitcoin experimentou seu primeiro evento de capitulação, a atividade on-chain está em baixa, com pouca demanda por espaço em bloco, como pode ser visto abaixo.

Uso do Mempool
Fonte: Mempool Space.

As taxas de transação na rede estão bem abaixo daquelas registradas quando o BTC atingiu máximas históricas. Aqui, porém, vale ressaltar que parte da atividade on-chain pode ter se movido para soluções off-chain como a Lightning Network.

A rede relâmpago do Bitcoin ganhou tração nos últimos meses e superou recentemente a capacidade de 3000 BTC, o que significa que esta segunda camada do BTC pode movimentar cerca de 831 milhões de reais em valor por meio de canais de pagamentos.

“Bitcoin to the moon”, apenas uma questão de tempo?

Em outro relatório, o estrategista sênior de commodities da Bloomberg Intelligence Mike McGlone se mostrou altamente otimista em relação ao Bitcoin.

O analista espera mais valorização no quarto trimestre de 2021, depois que o Bitcoin conseguiu transformar os fatores de curto prazo anteriores em fatores de alta de longo prazo. Isso inclui a proibição da criptomoeda na China e a migração dos mineradores para fora daquele país.

Os dois principais fatores que impulsionaram a alta dos preços do BTC desde março de 2020 ainda são relevantes: aumentar a demanda e diminuir a oferta. No quarto trimestre de 2021, US$ 40.000 podem se tornar os novos US$ 30.000, disse McGlone:

“Nosso gráfico mostra o Bitcoin em um padrão de consolidação de bandeira de alta trimestral, incapaz de romper o suporte de US$ 30.000 e batendo na porta da resistência de US$ 50.000. Se a criptomoeda de referência alcançasse um pouco o Bloomberg Galaxy Crypto Index (BGCI), o Bitcoin estaria mais perto de US$ 70.000.”

Leia mais:

Sky Mavis, empresa por trás do Axie Infinity, levanta US$ 152 milhões em investimentos

Especulação com Bitcoin em El Salvador é impulsionada por carteira centralizada

Vale a pena investir na Cardano? Grayscale cita prós e contras da criptomoeda

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br