Breaking News  
Por Dentro da Lightning Network Bitcoin

Por Dentro da Lightning Network

Conheça mais a respeito da tecnologia que é a grande aposta do Bitcoin para 2018: Lightning Network.

Rafael Lemos
Rafael Lemos

Diante do problema de escalabilidade demonstrado pelo bitcoin ao longo de 2017, boa parte da comunidade e desenvolvedores vêm apostando na Lightning Network (LN) como grande solução. Nesta série sobre a Lightning Network você conseguirá entender um pouco mais sobre esta implementação e alguns dos motivos pelo qual foi tão esperado seu lançamento oficial.

PROBLEMA DE ESCALABILIDADE

O grande problema a ser combatido pela LN é a limitação do Blockchain do bitcoin em termos de transações por segundo (TPS). Mesmo com a adoção cada vez maior ao segwit, percebemos que esta taxa de TPS não chega nem perto da rede do Visa, que é capaz de lidar com uma taxa superior a 24.000 transações por segundo:

“VisaNet handles an average of 150 million transactions every day and is capable of handling more than 24,000 transactions per second.” [https://usa.visa.com/run-your-business/small-business-tools/retail.html]

Lightning Network

Gráfico com a taxa TPS da rede bitcoin. Perceba que a quantidade de transações são insignificantes em comparação à Visa, ou até mesmo outras criptomoedas. – https://blockchain.info/pt/charts/transactions-per-second?timespan=all

Sendo assim, qual a grande vantagem do bitcoin em relação a outras criptomoedas mais escaláveis, por exemplo?

A resposta é simples: segurança. Além de ser uma rede rápida, é extremamente importante que seja segura, e é por isso que o bitcoin continua sendo a principal criptomoeda dentre todas as existentes deste enorme mercado.

Estamos falando de uma criptomoeda que possui sua rede (Blockchain) funcionando há quase 10 anos de maneira ininterrupta. Fora isso, o bitcoin mantém a descentralização como objetivo principal da rede, ao contrário de outras criptomoedas e tokens que existem no mercado, a exemplo da Ripple, que é extremamente escalável, mas é um token centralizado.

Lightning Network

Por todo este aspecto da segurança, é natural que transacionar bitcoin seja mais caro que transacionar outras criptomoedas. Este é um dos motivos de grandes críticas ao bitcoin – a questão dos micro pagamentos. A pergunta mais comum que lemos por aí é a seguinte: “Como vou pagar meu cafezinho pagando essa taxa da rede bitcoin?”

A SOLUÇÃO: LIGHTNING NETWORK

Para permitir que você pague seu cafezinho com bitcoin surge a LN. Não só seu café, mas qualquer micro pagamento. Basicamente, a LN permite que você transacione com a segurança da rede bitcoin, mas sem necessariamente realizar a transação pelo Blockchain.

A ideia é que você abra canais de negociações com outros usuários que você já tem certo costume de realizar micro pagamentos.

Por exemplo: Vamos imaginar que Fulano resolva comprar seu pão fresco na padaria com bitcoin, e vamos supor que ele gaste 0.0001 bitcoin toda manhã. O grande problema nessa situação é que, por se tratar de micro pagamentos, se todas as transações rodassem pelo Blockchain, as taxas sempre comeriam uma parte desta quantia.

Qual a solução? Basicamente, Fulano abre um canal de negociações com a padaria através da LN. Isso significa que as transações realizadas dentro deste canal serão propagadas numa sidechain, ou seja, uma cadeia que está integrada/paralela ao Blockchain. Esse canal ficará aberto até que uma das partes resolva fechá-lo (ou Fulano ou a Padaria). Sendo assim, para cada canal de negociações da LN, apenas 2 transações serão lançadas no Blockchain: a transação de abertura do canal e a de fechamento do canal.

Fizemos um infográfico para deixar isso mais claro para você.

Lightning Network

Agora que você já entende um pouco sobre a segunda camada do Blockchain, o que tá esperando para começar a adquirir suas primeiras frações de bitcoin? Passa lá na Foxbit, é tudo bem simples.

Rafael Lemos
Rafael Lemos

Estudante de Economia, com grande interesse por finanças. Dedico boa parte do meu tempo a projetos relacionados à Criptoeconomia. Atualmente trabalho na Foxbit, na produção de conteúdo.

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.