Em um vídeo recente, o vice-presidente de produtos da Blockstream, Allen Piscitello, falou sobre stablecoins, as plataformas que eles usam e como eles se comparam à rede Liquid da Blockstream.

Durante a apresentação, Piscitello falou sobre como o Tether existe em várias cadeias de blocos, mas representa o mesmo ativo em uma conta bancária. Ele também falou sobre os pré-requisitos de uma stablecoin, como velocidade, confiabilidade, finalidade, privacidade e custo.

Na Liquid, Piscitello explicou que as taxas de transação podem variar entre US$ 0,01 e US$ 0,15, embora ele também tenha dito que planeja atualizar o software de rede para reduzir ainda mais as taxas. Em comparação, as taxas de transação do Bitcoin e Ethereum variam entre US$ 0,10 e US$ 5,00.

“Você também pode ter a variabilidade de custo. Algo como uma rede pública usada por muitos aplicativos, você está competindo com todos esses aplicativos por movimentações”.

Piscitello também falou sobre como as redes Liquid liquidam transações em cerca de 2 minutos, acrescentando que elas não podem ser revertidas após a liquidação, desde que a rede esteja se comportando corretamente.

Ele acrescentou que o Bitcoin e o Ethereum permitem reversões através de ataques de 51%, embora eles tendam a ficar muito caros. Além disso, ele mostrou que os tempos de liquidação da Liquid são cerca de três vezes mais rápidos que no Ethereum e 30 vezes mais rápidos que no Bitcoin.

O vice-presidente da Blockstream também falou sobre como a rede Liquid possui uma capacidade maior e ferramentas de privacidade integradas. Do lado do varejo, desde que o Liquid foi bifurcado do código de base do Bitcoin, Piscitello disse que tem a capacidade de adicionar suporte a Lightning sobre qualquer stablecoin da rede, fornecendo muito mais produtividade do que seria possível em um blockchain.

Enquanto ele estava mais focado na perspectiva de troca de stablecoins no Liquid, Piscitello também observou que o uso de stablecoins como substituto de autorização era um caso de uso importante para a indústria.

Continue lendo: Diretora do Banco Central Europeu teme as stablecoins e não o bitcoin