Após muitos anos apresentando uma certa resistência à nova tecnologia, agora mais um grande banco muda de opinião sobre o Bitcoin e criptomoedas e reconhece que foi a classe de ativos que mais cresceu em 2020. “Atualmente, a criptomoeda envolve mais especulação do que investimento, mas isso pode mudar”, disse John LaForge, chefe de estratégia de ativos reais do banco.

A Wells Fargo é a décima sexta maior empresa do setor financeiro do mundo, e representa uma das maiores posições da holding Berkshire Hathaway, do lendário investidor Warren Buffett, que é um conhecido crítico do Bitcoin.

Wells Fargo finalmente reconhece o potencial da criptomoeda

Faz apenas dois anos que o banco americano estava formalmente impedindo seus clientes de comprar criptomoedas com seu cartão bancário, alegando alta volatilidade e riscos. Mas nesta segunda-feira (7), o Instituto de Investimento da Wells Fargo, lançou um relatório estratégico com uma seção inteira sobre os criptoativos.

Embora LaForge, analista do banco responsável pelo relatório, argumente que o Bitcoin ainda não é digno de um investimento, não recomendando a compra, mas reconhece em diversos momentos o seu potencial.

“Bitcoin, a maior criptomoeda, subiu 170% este ano – isso além do ganho de 90% que teve em 2019. […] Mas se você se sentiu excluído dos ganhos, não sinta.

O gráfico destaca que o bitcoin realmente superou o ouro e o índice S&P 500 nos últimos três anos, mas olhe a jornada volátil que os investidores de bitcoin tiveram que suportar para chegar lá.

Até apenas dois meses atrás, os retornos totais de três anos eram praticamente os mesmos entre os três ativos, mas a volatilidade era diferente.”

Performance do ouro, índice S&P 500 e Bitcoin. Fonte: Bloomberg e Wells Fargo.
Performance do ouro, índice S&P 500 e Bitcoin. Fonte: Bloomberg e Wells Fargo.

Bitcoin não é bolha, na verdade, pode ser uma “nova corrida do ouro”

Claro, não foram tecidos apenas elogios ao Bitcoin, a alta volatilidade de um ativo relativamente novo não agrada investidores tradicionais e isso foi bem pontuado no relatório. Mas o tom logo muda quando o Bitcoin é comparado ao ouro. 

“Investir em criptomoedas hoje é um pouco como viver nos primeiros dias da corrida do ouro de 1850, que envolvia mais especulação do que investimento. No entanto, as criptomoedas podem valer a pena investir um dia.

Nos últimos 12 anos, eles passaram de literalmente nada para US$ 560 bilhões em capitalização de mercado. Manias geralmente não duram 12 anos. Existem boas razões para isso – razões que todo investidor deveria ouvir. À medida que avançamos em 2021, discutiremos mais o espaço dos ativos digitais – suas vantagens e desvantagens.”, finaliza o relatório.

Quando até mesmo os grandes bancos começam a ficar sem argumentos para não considerar Bitcoin e criptomoedas como alternativas reais, podemos sentir uma grande mudança no mundo financeiro e econômico. Esse pode ser um grande sinal positivo para os próximos anos.

Mas qual a sua opinião sobre o desempenho do Bitcoin comparado ao ouro e ao mercado de ações? Deixe seu comentário abaixo.


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das maiores exchanges do Brasil e do mundo, e compre Bitcoin, Ethereum, USDT e outras principais criptomoedas pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!