No ano passado, a Wells Fargo deixou de permitir que seus clientes comprassem Bitcoin e outras criptomoedas, citando a alta volatilidade e os riscos.

No entanto, agora o banco deve pagar mais de 3 bilhões de dólares por um escândalo de conta falsa e por oferecer conselhos de investimento negligentes. Então o que é realmente arriscado?

Notícias recomendadas:
++ Grande banco britânico bloqueia conta de cliente por comprar criptomoeda
++ Cidade concorda em pagar 65 bitcoins para hackers
++ O Bitcoin não pode ser racista, ao contrário de bancos

Wells Fargo falha em informar os riscos relacionados à ETFs inversos

A gigante bancária americana Wells Fargo concordou em liquidar as cobranças da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) e pagar US$ 35 milhões.


Quer ganhar Bitcoins?
A gente te ajuda nisso.
Abra uma conta grátis!


 

Os reguladores disseram que o banco não conseguiu monitorar adequadamente seus consultores financeiros, que costumavam recomendar fundos inversos de negociação (ETFs) para clientes do varejo.

Para quem não conhece, um ETF inverso ajuda os investidores a lucrar quando um valor de referência subjacente diminui.

No entanto, os investidores não precisam vender nada a descoberto com esses instrumentos, ou seja, não precisam ‘shortar‘ para apostar na baixa.

Os reguladores alertaram em várias ocasiões que esses instrumentos podem não ser adequados para muitos investidores individuais.

A SEC afirmou em comunicado recente que o banco carecia de “políticas e procedimentos adequados de conformidade com relação à adequação dessas recomendações”. A maioria dos fundos de penalidade será destinada a investidores prejudicados.

A ordem do órgão de fiscalização mostrou que muitos consultores e corretores da Wells Fargo nem sequer entendiam completamente o risco de perdas associadas a ETFs inversos quando mantidos em longo prazo.

A SEC enfatizou que os investidores de varejo podem registrar perdas enormes e inesperadas ao manter ETFs inversos por mais de um dia.

Antonia Chion, Diretora Associada da Divisão de Execução do órgão regulador, comentou:

“As empresas devem manter programas eficazes de conformidade e supervisão para garantir que os valores mobiliários que recomendam sejam adequados para seus clientes.

Como resultado do fracasso da Wells Fargo em cumprir essas importantes obrigações, alguns de seus funcionários recomendaram instrumentos complexos para investidores de varejo que não entendiam os riscos envolvidos.”

Wells Fargo vai pagar US$ 3 bilhões por escândalo de conta falsa

A acusação da SEC veio apenas alguns dias depois que o Wells Fargo atingiu o culminar de um escândalo muito maior relacionado a contas falsas.

Em 21 de fevereiro, o Departamento de Justiça dos EUA anunciou que o banco havia concordado em pagar US$ 3 Bi. para resolver acusações criminais e uma ação civil relacionada ao infame escândalo de contas falsas.

O banco desrespeita seus clientes há mais de 14 anos abrindo contas sem seu conhecimento e consentimento. A prática foi descoberta em setembro de 2016 e prejudicou seriamente a reputação do banco. Dois CEOs deixaram o cargo como resultado.

A partir de 2002, os funcionários da Wells Fargo usavam repetidamente atividades fraudulentas para atingir metas de vendas irreais.

Eles abriram milhões de contas falsas nos nomes dos clientes sem o conhecimento deles, inscrevendo-os em cartões de crédito e programas de pagamento de contas.

Eles também configuraram números de identificação pessoal falsos, assinaturas falsas e chegaram até a transferir fundos do cliente sem o consentimento.

De acordo com documentos do tribunal, os promotores disseram que havia um ambiente de panela de pressão em Wells Fargo.

Os subordinados do banco foram obrigados a atingir metas de vendas cada vez mais altas a cada ano, enquanto o executivo sênior não se importava se elas eram exageradas.

Os poucos funcionários e gerentes que atingiram com sucesso as metas de vendas foram promovidos como exemplos a seguir.

Nick Hanna, advogado dos EUA no Distrito Central da Califórnia, teria dito:

“Este caso ilustra uma falha completa da liderança em vários níveis dentro do banco. A Wells Fargo trocou sua reputação de muito ganho por lucros de curto prazo e prejudicou um número incontável de clientes ao longo do caminho.”

No ano passado, a Wells Fargo trouxe uma pessoa de fora como CEO. O novo chefe, Charles Scharf, agora está tentando liquidar as acusações e cortar despesas do banco.

Então por que o Secretário do Tesouro dos EUA está preocupado com criptos?

Muitos promovem bancos e corretoras tradicionais como o único ambiente confiável para fazer transações financeiras e investimentos. Para eles, as criptomoedas são usadas apenas por especuladores e criminosos.

No ano passado, foi relatado que o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, chamou o Bitcoin e as criptomoedas de uma questão de segurança nacional. Ele disse:

“Criptomoedas como bitcoin foram exploradas para apoiar bilhões de dólares em atividades ilícitas, como crimes cibernéticos, sonegação de impostos, extorsão, ransomware, drogas ilícitas e tráfico de pessoas.

Muitos players tentaram usar criptomoedas para financiar seu comportamento maléfico.”

Mas e o Wells Fargo ou outros grandes bancos envolvidos em grandes escândalos relacionados a fraudes e manipulações?

O que você acha da alegação de que as criptos são apenas instrumentos de criminosos e especuladores? Compartilhe sua opinião na seção de comentários!


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!