Em uma live realizada pela Caixa Econômica Federal (CEF), o vice-presidente de tecnologia Cláudio Salituro respondeu aos clientes sobre a questão do Nubank e PicPay, dizendo que “não existe sumir dinheiro de conta, principalmente de uma instituição financeira de 159 anos”.

Afirmações da Caixa

Salientando que a Nubank seria “uma empresa bacana”, que a Caixa respeita, Salituro deixa claro que quando um dinheiro sai da CEF e vai para alguma instituição financeira e entra na conta de um cliente, o custodiante passa a ser a empresa que recebeu o crédito.

“Então, quando o dinheiro entra na conta corrente da Caixa ou de qualquer instituição financeira, esse dinheiro pertence ao cliente e ele não pode ser retirado, na nossa visão, a não ser que exista um processo muito maior e/ou um acordo por alguma ação necessária que se vai de ser conversado.”

Sobre a questão dos boletos supostamente pagos em duplicidade, Salituro explica:

“O que aconteceu é que alguns clientes fizeram uso do mesmo código de barras e pagaram o mesmo valor […]. Então se foi feito um proativo para se verificar se aqueles boletos estavam em duplicidade ou não.

Isso motivou uma verificação do banco responsável por aquele boleto, através desse estímulo feito pela Caixa, na qual a gente verificou que não existia nenhum problema.

Porém, a questão de retirada do dinheiro da conta ou não, não é facultada à Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica não é e nunca será responsável sobre a custódia de dinheiro na conta de qualquer outra instituição financeira”

Por fim, Salituro termina garantindo repetidas vezes que “o dinheiro que está na sua conta na Caixa nunca vai sumir”.

O que o Nubank havia comentado sobre o “sumiço de dinheiro”

Em nota, o Nubank culpou uma falha sistêmica da própria Caixa que resultou em clientes da Nuconta recebendo quantias maiores do que o valor correto por meio de depósitos por boleto.

“Assim que fomos informados pela CEF sobre a situação, agindo de boa fé, comunicamos nossos clientes sobre o equívoco e, seguindo as recomendações do banco, iniciamos o processo de estorno dos valores excedentes para a Caixa.”, disse o Nubank.

Após a reclamação dos clientes, o Nubank ressarciu os afetados e acusou “inconsistências nos dados fornecidos pela Caixa”.

Entramos em contato com a assessoria de imprensa do Nubank, que reforçou sobre a reversão dos saldos aos clientes em 8 de julho; eles optaram por não tecer comentários adicionais.

Leia também: Conheça o único bem não confiscável do mundo

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br