Adam Back, CEO da Blockstream, disse que as CBDCs são piores do que o sistema monetário atual e ressalta a importância do Bitcoin.

Adam Back, um “OG” do Bitcoin

Adam Back é CEO da Blockstream, empresa que colabora com o desenvolvimento do Bitcoin e de soluções relacionadas, como a Lightning Network, por exemplo.

O CEO está envolvido com o Bitcoin desde seus primórdios, sendo um conhecido membro da lista de e-mails Cypherpunk que deu origem ao whitepaper e sempre foi muito ativo em discussões, decisões e desenvolvimento que transformaram o bitcoin no que ele é hoje.

Adam Back foi um dos grandes líderes durante a “Fork Wars”, quando ocorreu a criação do Bitcoin Cash e um dos entusiastas mais vocais contra o aumento do tamanho de blocos, defendendo que isso poderia prejudicar a descentralização da rede. Back pessoalmente conversou com diversos grandes mineradores para que se mantivessem validando a rede do Bitcoin Core, liderada pela Blockstream.

CBDC é pior do que o que temos hoje

Com a crescente de interesse nas Moedas Digitais dos Bancos Centrais (CBDCs), muitos países têm se mobilizado através de suas autarquias monetárias, se aliando com bancos, fintechs e até mesmo projetos de criptomoedas para construir esta nova forma de dinheiro.

China, Coreia do Sul, Japão e Índia vêm liderando este movimento, já com projetos-piloto em pleno funcionamento ou em fase de testes, cada vez mais próximos do lançamento oficial.

Em nosso país, o Real Digital, a CBDC brasileira, deve ser lançada oficialmente na segunda metade de 2024 – e existem previsões de lançamento do projeto piloto já para 2023.

Reino Unido, Estados Unidos e México estão em um momento ainda anterior, em fase de pesquisa e desenvolvimento das moedas digitais centralizadas.

Mas será que essa “solução” é realmente positiva para os indivíduos?

De acordo com Adam Back, CBDCs são piores do que o que temos hoje, em nosso sistema atual onde o dinheiro em espécie é controlado por Bancos Centrais e o dinheiro digital já é dominado por cartéis corporativos de bancos, fintechs e governos ao redor do mundo.

Adam back explicando que CBDC é pior que stablecoins, bancos, dinheiro em espécie e bitcoin.
Fonte: Twitter (@adam3us)

“Stablecoins > CBDC. Na verdade, CBDCs são sistemas de controle, piores que contas bancárias, certamente piores que papel-moeda, piores que stablecoins e muito piores que bitcoin”.

Ele ressalta a característica apolítica do Bitcoin, por se tratar de uma moeda descentralizada, não sujeita ao controle ou à vontade arbitrária de governos.

Com a existência de uma moeda digital centralizada, o monitoramento, vigilância e controle sobre os fundos dos usuários (eu e você) fica apenas a um botão de distância de políticos que mudam a cada quatro anos em nosso sistema eleitoral.

Com a implementação dessa tecnologia, estes políticos podem impor suas decisões com mais facilidade, restando pouca ou nenhuma maneira para que as pessoas possam se proteger de ações autoritárias ou tirânicas. Inimigos políticos seriam facilmente neutralizados através do dinheiro.

CBDC é pior do que temos hoje e por isso a adoção de um dinheiro descentralizado, auto-soberano e não-permissionado é de extrema importância para os anos que virão.

Leia mais:

Passfolio