A fatura do cartão de crédito do Nubank ou outro banco está quase vencendo e você está apertado? Existem algumas soluções de curto prazo para te dar algum tempo para respirar e correr atrás de suas dívidas.

Tweet sobre a fatura do Nubank

Os juros dos cartões de crédito, mesmo os de bancos digitais e com marketing “jovem”, são os maiores vilões da sua vida financeira, acumulá-los pode ser a pior escolha que você irá fazer. Então esqueça pagar “o mínimo” ou entrar em crédito rotativo.

Para evitar os agiotas de verdade, confira as nossas dicas abaixo:

Como adiar a fatura do seu cartão de crédito em um mês

Deixando de lado as formas de pagamento que incluem juros altos, vamos começar com a forma mais simples e sem necessidade de pagamentos adicionais em dívida: use o cartão de um banco para pagar o de outro.

Passfolio

A princípio, essa solução parece não fazer sentido ou mesmo incluir juros no processo, mas existe uma forma de fazer acontecer de forma gratuita se o valor for pequeno. Você só vai precisar de um familiar ou amigo confiável e do PicPay.

Essa fintech permite que você utilize até R$ 300 por mês do seu limite no cartão para pagar amigos, somente a partir deste valor você paga taxas pela utilização de cartão em vez do saldo no aplicativo.

Com isso, basta você utilizar outro cartão de crédito para pagar o seu conhecido e pedir para ele o saldo de volta, ou mesmo solicitar que ele pague a sua fatura.

Na prática, você não eliminou a sua fatura do cartão de crédito, mas transferiu de um cartão para outro e adiou ela em um mês, o que te dá tempo para ganhar mais dinheiro e regularizar as contas.

As instituições financeiras não aprovam essa dica e aconselham de forma contrária, então mantenha isso como nosso segredo. 🤫

Evite os gigantescos juros do cartão de crédito com bitcoin

Se a sua fatura for superior a 300 reais, a primeira sugestão deste artigo não é suficiente. Então, vamos falar de trocar uma dívida por outra, algo que especialistas em educação financeira comentam bastante, mas a minha recomendação é diferente do comum.

Para essa segunda solução, você precisará de bitcoin. Talvez você já tenha ouvido falar que bitcoin é coisa de rico, porque cada unidade custa mais de R$ 200 mil, mas isso não poderia estar mais distante da realidade. Eu explico:

Como a moeda digital é extremamente divisível (até 8 casas decimais), você pode investir, por exemplo, 10 reais por mês em bitcoin. Foi exatamente isso que um investidor anônimo fez, e compartilhou os seus resultados no Twitter: acumulou R$ 8.524 em BTC, gastando no total apenas R$ 600 ao longo de 5 anos.

Fechando este parênteses, vamos para a segunda melhor solução para sua fatura do cartão de crédito (ou qualquer outra dívida que possua): troque sua dívida de alto juro por uma dívida de baixíssimo juro.

A Rispar é uma fintech brasileira regulada pelo Banco Central que oferece crédito com garantia em bitcoin, com ela você transfere a custódia dos seus BTCs para receber uma grana extra e pagar o que precisa.

Como o bitcoin é um ativo altamente líquido, ele se tornou a garantia perfeita para empréstimos, possibilitando as menores taxas do mercado. Além disso, por causa de uma parceria entre a Rispar e o Coingoback, a plataforma de cashback do Cointimes, você recebe parte do dinheiro pago de volta em bitcoin.

De forma resumida, o processo funciona da seguinte forma:

  • Você deixa seus bitcoins como garantia na Rispar;
  • Recebe o dinheiro emprestado na sua conta bancária e paga sua fatura;
  • Mensalmente você vai abatendo seu empréstimo e recebendo até 12% de cashback nas taxas diretamente em BTC no Coingoback;

Na prática, você usa o empréstimo para pagar a fatura, evitando as altas taxas de juros do cartão, divide o pagamento em parcelas para ter mais tempo de pagar e ainda termina com mais BTC do que tinha antes, graças ao cashback.

Essas dicas te deram uma luz sobre como fugir das dívidas e dos altos juros? Compartilha com seus amigos ou divulgue nas redes sociais para ajudar mais gente!

Passfolio