Eles ganham milhões de dólares denunciando esquemas e fraudes. Conheça os “denunciantes-do-bem” que em breve poderão ser regulamentados no Brasil.

O Brasil parece infestado de esquemas de pirâmide e fraudes financeiras que usam bitcoins quânticos, reais, bois e até avestruzes como iscas para investidores desavisados. Como acabar com isso?

O governo norte-americano encontrou uma resposta. Logo após o escândalo de Madoff, o presidente Barack Obama assinou o Dodd-Frank Wall Street Reform and Consumer Protection Act.


Veja também: ++Como Madoff conseguiu enganar os órgãos governamentais?


Dentre diversas medidas, o ato criou um sistema no qual vazadores de dados poderiam se beneficiar ao reportar violações, esquemas e pirâmides.

Funciona da seguinte maneira…

Imaginemos que você trabalha para uma empresa que promete lucros constantes em bitcoin através de um robô, mas você descobre que o dono do negócio usa o dinheiro dos clientes para viajar de jatinho e pagar outros consumidores.

No Brasil, se você vazar esses dados para a CVM (Comissão de Valores Mobiliários do Brasil), é bem possível que não ganhes nada. Contundo, a situação muda nos Estados Unidos, a SEC (uma espécie Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos) poderá te pagar até 30% das multas aplicadas na empresa.

Ganhando milhões denunciando esquemas

Edward ganhou milhões denunciando esquemas fraudulentos para a SEC
Edward Siedle | Fonte: CNBC

Alguns denunciantes chegaram a arrecadar mais de 50 milhões de dólares apenas vazando dados de práticas ilegais.

Desde 2011, a SEC distribuiu mais de US$ 300 milhões de dólares e conseguiu recuperar mais de US$ 1 bilhão em fraudes.

Segundo um estudo de pesquisadores das universidades de Toronto, Tóquio e Chicago, o custo de fraudes em grandes corporações estão entre 180 a 380 bilhões de dólares por ano.

Um desses denunciantes é Edward Siedle, ele é um investigador que trabalhou por muito tempo na SEC. Após ir para a iniciativa privada e lidar com fraudes, Siedle começou a denunciar diversas empresas.

Assim como Siedle, muitos investigadores privados se dedicam a investigar empresas e denunciar ilegalidades.

Pacote de Sérgio Moro e o denunciante à brasileira

No Brasil, a situação está para mudar. O pacote anti-corrupção do Ministro Sérgio Moro prevê a criação de um denunciante do bem, muito parecido com o modelo norte-americano.

O modelo brasileiro prevê que, quando as informações vazadas forem um crime contra a Administração Pública, o informante poderá receber até 5% do valor recuperado.

Entretanto, o modelo brasileiro versa apenas sobre empresas públicas ou que venham a afetar a Administração Pública. De qualquer forma, já é um avanço.

Você acredita que um programa ao estilo norte-americano daria certo no Brasil? Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe essa matéria para ajudar a combater pirâmides financeiras.


Siga nosso canal do Telegram para ficar por dentro de todas as notícias!