O Twitter nunca se juntará à Libra, disse o CEO Jack Dorsey hoje em um evento de mídia do Twitter na cidade de Nova York. Ele ainda explicou que na sua visão, a iniciativa do Facebook podia não estar alinhada com o objetivo de democratizar o sistema financeiro. “Não sei se é um truque”, disse Dorsey, “mas uma criptomoeda não era necessária para fazer esse trabalho”.

Leia também:
++ Dólar vai compor 50% da Libra, moeda do Facebook
++ Preço do Bitcoin sobe para US$ 8500, enquanto o S&P 500 atinge novo recorde

Descentralização é a mais importante característica de uma criptomoeda

“Não é um padrão aberto que nasceu na internet”, disse Dorsey. “Nasceu da intenção de uma empresa e não é consistente com o que pessoalmente acredito e com o que quero que nossa empresa (Twitter) defenda”.

Ao mesmo tempo, Jack estava entusiasmado com criptomoedas mais descentralizadas, vendo-as como parte de uma comunidade online internacional emergente.

“Acho que a internet é um estado-nação emergente em quase todos os aspectos”, disse ele à multidão. “Quase agora tem uma moeda na forma de criptomoeda e bitcoin.”

Libra enfrentando legisladores

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, testemunhou ontem diante do Congresso sobre os objetivos da empresa com Libra, e foi recebido com ceticismo por parte dos legisladores.

Ele disse que deseja que os legisladores possam separar a iniciativa de criptomoeda do Facebook, já que a empresa planeja desempenhar apenas um papel parcial quando a associação mais ampla for realizada. Ainda assim, o registro de violações de privacidade do Facebook lançou uma sombra preocupante sobre a nascente rede de pagamentos.

“Você entende por que esse registro nos preocupa com a entrada do Facebook no espaço de criptomoedas?”, Perguntou a repórter Nydia Velázquez a Zuckerberg na audiência. “Você percebe que você e o Facebook têm um problema de credibilidade aqui?”

Fonte: The Verge.