Em uma carta de resposta ao legislador Alemão Fabio De Masi, o Facebook disse que o dólar vai ser responsável por 50% de sua cesta de ativos que vai apoiar a Libra.

A carta também revela que o resto das reservas estarão 18% em euro, 14% em yen, 14% na libra esterlina e 7% no dólar de Singapura.

A não inclusão da moeda chinesa pode facilitar a aprovação da Libra no Congresso dos Estados Unidos, que não viu com bons olhos a proposta de Mark Zuckerberg

Os chineses por sua vez, já estão prontos para lançar sua própria moeda digital apoiada por suas corporações.

Fonte: Reuters