Breaking News  
Conheça o plano do governo chinês para subjugar o Bitcoin Notícias

Conheça o plano do governo chinês para subjugar o Bitcoin

Saiba os planos do governo chinês para subjugar o Bitcoin e criar sua própria moeda.

Cointimes
Cointimes

No meio de uma guerra comercial com os EUA, o Banco Popular da China está trabalhando para desenvolver seu próprio protótipo de criptomoeda. Aparentemente, os membros do governo chinês acreditam que esse ativo digital centralizado possa, em última instância, superar o BTC e talvez até mesmo o dólar americano.

Uma relação de amor e ódio com criptomoedas

O governo da China tem sido infamemente hostil em relação a atividades econômicas relacionadas à criptomoedas, como seu comércio, mineração, empréstimos P2P e ICOs. Mas isso não significa que o governo chinês desaprove a ideia subjacente ao Bitcoin. Embora a administração de Xi Jinping tenha feito muito para acabar com o mercado doméstico de criptomoedas, ele atualmente está trabalhando no desenvolvimento de sua própria moeda digital segura e baseada em blockchain.

Relatórios revelam que o Banco do Povo da China (PBoC) registrou 78 patentes em moeda digital, das quais 44 são relacionadas ao blockchain, desde pelo menos 2016, classificando o PBoC como o quinto patrono mais prolífico do espaço, conforme relatado pelo IPR da China. Diariamente.

Além disso, o PBoC tem contratado ativamente desenvolvedores e especialistas em economia para o Digital Currency Institute, com sede em Pequim, cujo objetivo declarado é emitir e distribuir uma moeda baseada em blockchain.

Controle sem precedentes

O projeto foi originalmente concebido pelo vice-governador do PBOC, Zhou Xiaochuan, com a intenção de “proteger” a China do Bitcoin, um ativo que não podia controlar. Em contraste com as moedas digitais descentralizadas que conhecemos e amamos, a alternativa do PBOC poderia, de fato, permitir que o governo chinês exercesse um controle ainda maior sobre as vidas dos cidadãos do país.

O atual vice-governador do Banco, Fan Yifei, anunciou no início do ano que, uma vez implementada, a criptomoeda controlada pela China substituiria a moeda fiduciária do país e ajudaria o banco a reduzir os riscos associados à lavagem de dinheiro e outros crimes.

Algumas das patentes registradas pelo PBoC revelam o que o governo chinês tem em mente para o futuro. De acordo com o artigo da Bloomberg sobre registros recentes de patentes, o governo não apenas quer rastrear as transações cotidianas de seus cidadãos, mas pretende obrigar os bancos a compartilhar todos os dados relacionados a possíveis tomadores de empréstimos antes de autorizar qualquer tipo de transação.

Além disso, o PBoC seria imediatamente capaz de proibir qualquer instituição financeira de lidar com empresas “na lista negra”. Embora não haja evidência de que o banco pretenda negar a indivíduos o acesso a serviços financeiros, os recentes esforços do governo chinês para estabelecer um sistema de crédito social podem apontar para essa possibilidade.

Administração de Trump pode acelerar o desenvolvimento da moeda digital da China

Com os EUA inflexíveis em sua atual guerra comercial contra a China, banqueiros e políticos estão cada vez mais interessados em acessar um método de pagamento alternativo que reduziria o domínio dos Estados Unidos sobre os mercados financeiros internacionais, enquanto rumores de uma criptomoeda apoiada por chineses estão ganhando impulso.

A recente prisão do diretor financeiro da Huawei, Sabrina Meng Wanzhou, no Canadá, a pedido do governo dos EUA, reacendeu essa discussão na China. Meng foi preso sob a acusação de sanções internacionais impostas pelos EUA ao Irã, acusações que podem envolver o HSBC e o Standard Chartered Bank.

Conforme relatado pelo South China Morning Post em 17 de dezembro, Richard Jerram, economista-chefe do Bank of Singapore, declarou:

O presidente Trump está promovendo uma política de “América primeiro”, então você não pode confiar na América para manter suas fronteiras abertas para o comércio, ou confiar nela para apoiar a Organização Mundial do Comércio, ou o Fundo Monetário Internacional. Então você pode entender por que os países estão procurando por substitutos… Em um mundo de fratura de ordem multilateral, os países procurarão reduzir sua dependência dos EUA.

Apesar de o yuan chinês representar apenas 1% do mercado de pagamentos internacionais e 1,8% de todos os ativos de reserva detidos pelos bancos centrais, a China contribuiu com 27,2% do crescimento total do PIB global em 2018. Este desempenho faz com que seja o maior contribuinte para a economia global atual, apesar da guerra comercial e da desvalorização do yuan chinês.

Sua posição como uma potência econômica e o clima atual de tensão política com os Estados Unidos podem obrigar o governo chinês a redobrar seus esforços para acabar com a hegemonia dos EUA atacando o dólar americano.

Como a economia mundial está migrando lentamente para os sistemas digitais, não seria exagero pensar que uma alternativa ao dólar dos Estados Unidos poderia assumir a forma de um ativo digital muito parecido com o criptomoeda proposto pelo governo chinês.

A China lançará sua própria criptomoeda? Você acha que um ativo digital poderia ter consequências no cenário mundial? Deixe-nos saber na seção de comentários abaixo.

Leia também: 

Traduzido e adaptado de Bitcoin.com. Autor original: Ricardo Carrasco

Gostou do conteúdo? Quer receber mais análises como essa? Então se inscreva no canal do Cointimes no Youtube e siga o FacebookTwitter e Instagram.

Cointimes
Cointimes

Cointimes é um portal de conteúdo sobre a nova economia que está mudando o mundo. Aqui é um espaço aberto que busca ajudar a mudar a vida das pessoas através do conhecimento sobre blockchain, criptomoedas, educação financeira, investimentos, aplicações descentralizadas, inovação e empreendedorismo digital.

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.