Ontem, o governo dos Estados Unidos acusou 14 funcionários do alto escalão venezuelano por “narcoterrorismo”, corrupção, tráfico de drogas e outras acusações criminais. Um deles é o “chefe de critptomoedas” de Nícolas Maduro.

O governo está oferecendo uma recompensa de US$15 milhões por qualquer informação ou pela cabeça de Maduro.

Mas não é só pelo presidente que você pode ganhar uma grana dando informações para o Tio Sam.

Por informações do ex-general Clévez Alcola, do chefe de inteligência Hugo Carvajal e pelo vice-presidente para a Econômia, o governo está oferecendo US$ 10 milhões e até US $ 5 milhões por informações que levem à prisão e / ou condenação de Luciano Marín Arango, também conhecido como “Ivan Marquez”, membro do Secretariado das FARC.

Corruptos do regime de maduro

“Por mais de 20 anos, Maduro e vários colegas de alto escalão supostamente conspiraram com as FARC, fazendo com que toneladas de cocaína entrassem e devastassem as comunidades americanas.”, disse o Procurador Geral dos EUA William P Barr.

Superintendente das criptomoedas de Maduro

Enquanto que para Maduro e seus principais asseclas o governo deu alguns milhões de recompensa, para o superintendente de criptomoedas Joselit Ramirez foi feita uma acusação separada.

Joselit é responsável pela criptomoeda Petro, lançada pela Venezuela e em tese lastreada em petróleo. Ele também é diretor da Sunacript, o órgão estatal responsável por regular as criptomoedas.

Ramirez é acusado de trabalhar com entidades baseadas nos Estados Unidos para fornecer voos privados para Maduro, indo contra as sanções impostas pelo governo norte-americano.

“O anúncio de hoje destaca o alcance global e o compromisso da HSI de identificar, direcionar e investigar agressivamente indivíduos que violam as leis dos EUA, exploram sistemas financeiros e se escondem atrás de criptomoedas para promover sua atividade criminosa ilícita.”, disse o Department of Homeland Security.

Veja também: 5 fatos sobre o Bitcoin que você não conhecia

Conheça as 5 criptomoedas que valorizaram mais que o Bitcoin no ano passado: