A inflação é como o alcoolismo, em ambos os casos, quando você começa a beber ou quando começa a imprimir muito dinheiro, os bons efeitos vêm primeiro, os ruins vêm depois.”, Milton Friedman.

Este ano foi um marco na história do dólar, com mais de 22% de suas unidades sendo emitidas apenas em 2020, e enquanto isso apenas 377100 bitcoins foram minerados no mesmo período, o equivalente a US$ 4,2 bilhões. As consequências disso ainda estão para ser vistas, mas já podem ter sido precificada pelo mercado.

Conforme mostra o Federal Reserve de St Louis, a única unidade do banco central americano que publica dados, um total de 1,564 trilhões de dólares foram emitidos este ano.

Oferta de dólares americanos M1. Fonte: Fred.
Oferta de dólares americanos M1 em 2020. Fonte: Fred.

Uma das principais propriedades de uma boa moeda é a escassez, mas talvez mais importante que isso seja a previsibilidade. O Bitcoin, como criptomoeda, oferece as duas coisas.

Como explicamos no artigo “Halving: O que muda para investidores e mineradores?“, por causa das recompensas dos mineradores, do halving e do ajuste de dificuldade de mineração, o aumento da oferta de bitcoins é previsível e apresenta formato logarítmico.

gráfico da oferta de bitcoins ao longo do tempo

Entretanto, quando a quantidade oferta circulante depende de decisões políticas, como é o caso das moedas fiduciárias, elas podem ser um tanto imprevisíveis.

Dessa forma, o aumento anual é sempre uma surpresa, e muitas vezes o resultado pode ser devastador.

“Em 2021 a oferta de bitcoin vai aumentar em 1,79%. Em 2021 a oferta de dólares americanos vai aumentar em…”, tuitou Jameson Lopp, desenvolvedor do Bitcoin.

Por fim, a valorização do Bitcoin no par dólar tem sido de +58,85% desde o começo do ano até hoje. Resultado provavelmente impulsionado pelo crescente número de investidores e empresas acumulando bitcoin como proteção contra inflação.

Leia também: Quais são as melhores moedas em uma crise mundial?