O maior banco do país foi multado em até R$4 bi pela prefeitura de São Paulo, devido uma suposta fraude fiscal.

++ População do Irã se revolta e queima banco

De acordo com O Antagonista, a multa é resultado de uma investigação feita pela CPI da Sonegação Fiscal. Segundo ela, o Itaú declarou endereços de sede diferentes dos reais, em cidades como Poá e Barueri, a ideia era não pagar os impostos de São Paulo.

Enquanto toma multa, o Itaú ataca ferozmente o uso de criptomoedas, fechando a conta de exchanges e vendedores autônomos quase automaticamente.

O Itaú alega que as exchanges de criptomoedas podem trazer riscos e fraudes fiscais. Entretanto, vemos que as exchanges brasileiras seguem os padrões internacionais de KYC e AML, talvez até mais rigorosamente que o próprio banco.

Sobre a multa, o banco declarou que suas operações em Poá “sempre estiveram devidamente sediadas”.