O crescente universo de tokens não fungíveis (NFTs) revolucionou a indústria da arte e agora está se dirigindo para a indústria da música. O modelo do Spotify está perto do fim?

Muitos artistas questionam se o Spotify paga os músicos de maneira justa. Embora o popular serviço de streaming de música ainda não tenha revelado exatamente quanto paga, especialistas da indústria sugeriram que sua taxa de pagamento para gravações seja de quase 4 mil dólares por milhão de streams, ou menos de meio centavo por stream.

Porém, a tecnologia dos tokens não fungíveis pode mudar completamente esse cenário, pelo menos de acordo com o Saxo Bank. O Saxo Bank é um banco de investimentos fundado em 1992 e faz parte do Fundo Garantidor Dinamarquês.

NFT e plataformas de streaming tradicionais

O Saxo acredita que as perspectivas são boas para a tecnologia de NFT, apesar de todo o caos e entusiasmo iniciais. De acordo com uma das previsões para 2022 do último relatório do Saxo Bank, o caso de uso dos NFTs pode ser atraente para os músicos e artistas que se sentem explorados ou injustamente tratados pelas plataformas de streaming existentes e suas estruturas de receita.

Passfolio

Na mesma linha, uma publicação do analista de criptomoeda Mads Eberhardt do banco de investimento dinamarquês afirmou:

“Esses modelos não orientam as taxas de assinantes individuais para a música real que um assinante ouve. Em vez disso, todas as receitas de taxas de assinatura são agregadas e distribuídas com base na participação de cada artista no total de streams.”

As plataformas de streaming também ficam com uma grande parcela dos ganhos que, se somados às taxas pagas às gravadoras, chega a 75% ou mais da receita total.

NFTs desafiando a indústria musical

A infraestrutura da indústria musical atual deixou tanto os artistas quanto seus fãs com apenas um punhado de alternativas viáveis.

A dominância das grandes gravadoras está diminuindo. O principal motivo é o Spotify. Seus ganhos no terceiro trimestre mostram um aumento de 27% na receita ano a ano, para impressionantes US$2,8 bilhões.

Além disso, a margem bruta da gigante do áudio ampliou de 24,8% há um ano para 26,7% em 2021, o que a ajudou a acumular mais de US$100 milhões em fluxo de caixa livre no terceiro trimestre.

Essa tendência pode mudar, pois os indivíduos em todo o mundo estão prestando muita atenção à indústria de criptomoedas e blockchain. Somente em 2021, muitos músicos, esportistas e artistas inundaram a cena de NFTs e estão lucrando com isso.

Eberhardt do Saxo, por exemplo, está bastante confiante sobre seu sucesso. Citando o uso de redes de blockchain de contrato inteligente, os músicos podem eliminar a necessidade de uma entidade centralizada e distribuir suas criações diretamente para seus ouvintes.

O processo descentralizado ajudaria os artistas a serem pagos em tempo real e, ao mesmo tempo, deixariam de pagar uma enorme porcentagem da receita para as empresas de streaming.

Em uma previsão nada ultrajante, o analista previu que serviços de streaming de música baseados em NFT surgirão com nomes como Katy Perry, The Chainsmokers e Jason Derulo. O trio já se envolveu com a plataforma de música em blockchain, Audius.

Lentamente, Eberhardt acredita que os músicos retirarão suas músicas das plataformas convencionais, que mudarão completamente.

Veja mais:

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br