24 de agosto de 2017 marcou a implementação do protocolo Segwit no Bitcoin. Com o objetivo de resolver a maleabilidade das transações e escalar ainda mais o blockchain do ouro digital, a atualização ganhou tração em seus meses iniciais, mas com o tempo, sua adoção começou a esfriar, especialmente durante o bear market de 2018.

Agora, muitos desenvolvedores esperavam que os níveis de adoção aumentassem assim que o congestionamento da rede aumentasse durante a próxima corrida de touros. Hoje, estamos no meio de uma das mais fortes altas de longo prazo do Bitcoin na história. Então, onde está a adoção do Segwit?

Níveis de adoção do Segwit

Willy Woo, um popular analista de mercado, observou recentemente que a velocidade monetária do Bitcoin está maior do que o estoque M1 dos dólares americanos. “M1 é o dólar mantido em contas de curto prazo para comprar coisas”, explica ele, e a posição superior do BTC significa que o ativo está movimentando mais dinheiro do que o dólar americano.

Uma vez que a atividade de rede está se tornando cada vez maior, parecia ser um caso sob medida para as transações Segwit absorverem um pouco mais do impulso deste movimento transacional. Estranhamente, não foi esse o caso.


Quer ganhar Bitcoins?
A gente te ajuda nisso.
Abra uma conta grátis!


 

Uso do Segwit: gráfico

De acordo com os dados, as taxas de adoção do Segwit no momento são mais baixas do que suas máximas históricas superiores a 60% observadas entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020. Nos últimos três meses, enquanto as transações médias do Segwit aumentaram constantemente, após atingir um pico de 53% em 23 de fevereiro de 2021, os números para o mesmo estavam abaixo de 50% até o momento.

Em média, as transações segwit por dia permaneceram abaixo de 50% do total desde setembro de 2020, indicando que a recente corrida de touros fez pouco ou nada no que diz respeito à melhoria de sua taxa de adoção anterior.

Por que a adoção deveria ter melhorado

Média das taxas de transação do Bitcoin em dólar nos últimos 12 meses.
Média das taxas de transação do Bitcoin em dólar nos últimos 12 meses.

Entre o final de agosto de 2020 e dezembro de 2020, a taxa de transação média estava principalmente abaixo do nível de US$ 10, o que significa que para ter um envio confirmado rapidamente na rede do Bitcoin, os usuários precisavam pagar esse valor para os mineradores. Sempre há a opção, no entanto, de pagar menos e ter a sua transação presa temporariamente em uma espécie de fila, que chamamos de mempool.

Desde a virada do ano, entretanto, junto com a alta do bitcoin, as taxas médias de transação dispararam, ficando em média acima de US$ 15 de forma consistente. Em 23 de fevereiro, por exemplo, as taxas de transação subiram para US$ 31. Estava em torno de US$ 20 em 3 de março, depois que as correções aparentemente se estabilizaram nos gráficos do Bitcoin.

Uma taxa de transação mais alta é uma indicação direta do fato de que o congestionamento também é alto. Portanto, as transações do Segwit sem dúvida deveriam ter gerado um nível mais alto de atividade, já que elas possibilitam um aumento no bloco (os blocos de bitcoin agora superam 1 MB por conta do Segwit) e um desconto considerável nas taxas.

Mas, como foi apontado por Mark Erhardt, da Chaincode Labs, os usuários continuam pagando taxas mais altas do que o necessário. Ele acrescentou que mudar para um endereço Segwit nativo poderia facilmente resolver esse dilema. Ele disse:

“A composição do conjunto UTXO (saídas não gastas de BTC) só muda em velocidade glacial. Cada UTXO deve ser gasto eventualmente. Quanto mais os formatos de saída menos eficientes prevalecem, mais dívida futura de espaço nos blocos acumulamos. Você pode ajudar a si mesmo e ajudar a rede mudando para native segwit.

Quando o Bitcoin Core começou a padronizar para endereços de Segwit nativos com o lançamento de 0.20.0 – 3,5 anos após adicionar o código de consenso de segwit – eu esperava que tivesse um pouco mais de um efeito de “última chamada” para finalmente adicionar suporte para envio para nativos endereços segwit.”

Acontece que algumas plataformas ainda não atualizaram seus softwares para permitir que usuários saquem bitcoins para suas carteiras se elas forem Segwit nativas (endereços que iniciam com “bc1”), apenas para Segwit comuns (endereços que iniciam com “3”) ou endereços legados (que iniciam com “1”).

Alguma esperança para o Segwit?

A exigência de uma atualização compatível com versões anteriores continua necessária para a compatibilidade do Segwit, mas o sentimento do mercado sugere que, apesar da vantagem clara, muitos simplesmente não estão dispostos a passar por uma mudança para facilitar as transferências dos usuários, por qualquer que seja o motivo.

Recentemente, a BitMEX ativou o suporte Bech32 em 2019, uma decisão que implicou no suporte para endereços Segwit nativos. No entanto, desde então, a própria bolsa não tem recebido tanta atividade quanto algumas das outras plataformas do mercado.

Portanto, a desculpa de um mercado em baixa não é mais válida para justificar a estagnação de Segwit, uma vez que a corrida de alta também não revigorou o interesse por ele. Mas o que os usuários podem fazer para pagar menos taxas por conta própria? A recomendação é utilizar uma carteira pessoal que já apoie esse tipo de endereço, veja algumas opções e outras dicas no artigo “Como economizar em taxas de bitcoins“.


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!