Muitos investidores ainda apresentam uma série de dúvidas em relação à segurança do Bitcoin.

O Bitcoin é realmente seguro? Como funciona a mineração de bitcoin? O que é essa tal de Hash Rate?”

Você saberia responder essas perguntas para um novo investidor cheio de incertezas? Caso a sua resposta for “não” saiba que muitos estão nessa com você.

No estudo dessa semana, explicaremos como funciona a segurança do ativo (promovida pela blockchain), e por que a tendência é de que o Bitcoin se torne cada vez mais seguro com o tempo.

Hash Rate (o medidor da segurança do Bitcoin)

Primeiro, vamos tentar entender o que é a Hash Rate. Basicamente, trata-se de uma taxa fundamental para o Bitcoin que mede a quantidade de poder computacional presente na rede do ativo: a blockchain.

Ficou muito abstrato?

Bem, para facilitar, no vídeo abaixo explicamos de forma breve (em 4 minutos) como essa taxa garante a segurança do BTC, dê uma olhada:

Mas continuando…

Para adicionar novos blocos na rede do Bitcoin e, consequentemente, novas transações, precisamos do trabalho da mineração, certo?

Resumidamente, a mineração consiste em uma resolução de problemas matemáticos super complexos para validar se uma transação na blockchain é verdadeira, ou não.

Uma vez que o problema foi resolvido, a transação é liberada e o minerador ganha uma recompensa por esse trabalho.

Entretanto, obviamente, a resolução do problema nunca acontece logo de cara. Por isso, são realizadas inúmeras tentativas para liberar uma única transação na rede.

Para cada tentativa feita dá-se o nome de Hash, e a quantidade de Hashs realizadas por segundo dá origem ao termo hash rate.

*Caso não tenha ficado claro o conceito de hash rate, assista o vídeo acima, ou comente sua dúvida abaixo.

Mas por que a Hash Rate é tão importante?

Simples: essa taxa representa o nível de segurança da rede do Bitcoin.

Cada vez que os mineradores tentam resolver um novo problema matemático para adicionar novas transações na rede, todas as transações anteriores a essa são reverificadas (pois na blockchain, todas essas transações estão conectadas).

Uma vez que alguém (finalmente) acerta o problema, todos os mineradores que antes estavam tentando desvendar esse problema matemático, validam a resposta.

Portanto quanto maior for a Hash Rate, significa que mais pessoas estão validando suas transações e, consequentemente, mais segura essa transação é (dado que quanto mais players realizam esse processo, mais sólido ele se torna).

A Hash Rate está Crescendo!

Tenho certeza de que você já deve ter escutado histórias de pessoas que validavam as transações do Bitcoin no início da rede (mineravam Bitcoins e ganharam muito dinheiro com isso).

Isso de fato ocorria no início do Bitcoin. Até 2013, a mineração de Bitcoin (e a validação das transações) podiam ser feitas de forma muito simples, através de computadores normais.

A desvantagem era que se tratava de um processo muito instável e de alto custo, devido ao alto consumo energético. Mas isso mudou.

mineração de bitcoin
Evolução da dificuldade de mineração

De 2013 para 2014 foram criados as ASICs, equipamentos desenvolvidos apenas para resolver os problemas matemáticos da rede do Bitcoin, de forma muito eficiente e com um baixo custo energético.

Com isso, a mineração, que antes era difusa e pouco profissional, se tornou cada vez mais competitiva. Hoje, a atividade é dominada por grandes pools de mineração que investem bilhões de dólares em tecnologia para conseguir gerar mais hash rate e, consequentemente, tornam a rede do Bitcoin mais segura (de acordo com o que explicamos acima).

Para você ter uma noção, uma ASIC realiza cerca de 14 TH/s, o que significa que ela calcula 14 trilhões de Hashs por segundo. A rede inteira do Bitcoin, por sua vez, produz quintilhões de cálculos por segundo. E a tendência é que cada vez produza mais.

É por isso que, hoje, o Bitcoin sozinho consome mais energia do que a população da Grécia inteira. Caso o criptoativo fosse um país, ele seria um dos 50 países do mundo que mais consumem energia (cerca de 0,34% de toda energia produzida no mundo).

O Bitcoin está mais seguro que nunca

Agora que já deu para ter uma ideia de onde queremos chegar, saiba que, entre 2016 e 2020, a Hash Rate cresceu 140 vezes, ou seja, em quatro anos o Bitcoin se tornou 140 vezes mais seguro.

E ela não para de crescer!

Nessa última semana o Bitcoin atingiu seu recorde de Hash Rate, mesmo o ativo tendo desvalorizado mais de 50% nos últimos três anos.

hash rate bitcoin
Crescimento da hash rate ao longo dos anos

Concluímos esse artigo com a seguinte afirmação: a Hash Rate do Bitcoin tende a ser cada vez mais crescente, portanto, não se surpreenda caso o número citado acima disparar.

Isso porque, a cada dia, empresas como a Bitmain, criam novas ASICs ainda mais eficientes e que consomem ainda menos energia, entregando muito mais resultado.

Independente do preço do Bitcoin, a criptomoeda sempre se tornará mais segura.

Esperamos que tenha aprendido de vez o motivo do Bitcoin ser tão seguro. Da próxima vez que te perguntarem a respeito, fale tudo o que viu aqui.

Por fim, te convido a entrar em nosso Canal do Telegram, onde postamos conteúdos diários sobre o mercado. Até mais.