Antes de começar a expor minha opinião, gostaria de falar sobre uma armadilha que quase todo mundo cai: a armadilha do historiador. Como seres humanos, tendemos a criar padrões para explicar a ocorrência de eventos, mesmo que estes ocorram sem motivos plausíveis.

Com isso chegamos ao Bitcoin, acreditamos que ele vai se recuperar de preço por causa de acontecimentos passados, mas, na verdade, não é bem assim. Tome cuidado com falsos profetas.

Armadilha do historiador

É preciso tomar cuidado para não cair na armadilha do historiador. A Armadilha do Historiador é um tipo especial de ilusão de ordem. Baseia-se na crença, antiquíssima e totalmente sem fundamento, de que a história sempre se repete. Quem acredita nisto – talvez 99 de cada 100 pessoas na face da Terra – como corolário acredita que a repetição ordenada da história permite, em determinadas circunstâncias, previsões corretas sobre o futuro.

Às vezes a história se repete, é verdade. Mesmo quando a repetição ocorre, jamais é de forma confiável a ponto de você poder apostar prudentemente o seu dinheiro. Geralmente, as consequências da Armadilha do Historiador não costumam ser graves.

Os exemplos mais comuns desse tipo de armadilha são: ‘’Se estiverem à frente no segundo tempo, ganham o jogo.’’ ‘’Toda vez que a gente combina se encontrar para um drinque, ela arranja um problema no escritório e chega atrasada.’’ ‘’Quem foi Campeão do primeiro turno no Brasileirão, jamais perdeu o título no segundo turno”. Tendemos a acreditar nessas expectativas não confiáveis – o que é aceitável mas, de modo geral, não oferece perigos. Quando o seu dinheiro entra no negócio, porém, a Armadilha do Historiador se torna perigosa. 

Fórmulas podem estar erradas; o mercado nunca. O mercado é mercado, nem mais nem menos. Não faz previsões nem promessas. Está ali, e basta. Discutir com ele é como sair numa tempestade de neve, gritando que só deveria nevar no dia seguinte.

O Bitcoin vai se recuperar?

Hoje completamos 1 ano da maior alta de todos os tempos do Bitcoin, esse dia foi, certamente, o dia mais feliz da vida de muitas pessoas. Infelizmente, os eventos que se sucederam assombram aqueles que não venderam na alta histórica. Muitos têm a esperança de que o preço do Bitcoin vá se recuperar logo, afinal, foi assim todas as outras vezes. A minha opinião é que: a recuperação é incerta e se acontecer, deverá levar tempo.

O futuro não necessariamente repete o passado

Muitos otimistas acreditam que a recuperação do Bitcoin é certa e que ocorrerá em breve. Afinal, crashes do mercado sempre acontecem e o Bitcoin vai se recuperar, exatamente como foi em 2011 e 2014. Mas existe uma grande diferença aí: o mercado de 2011 e 2014 não é o mesmo que de hoje. Estamos em outra época e o mundo, junto do mercado de criptomoedas, mudou bastante. A ideia é que sempre que o mercado quebra, ele se recupera exponencialmente em um determinado espaço de tempo.

Hoje em dia temos muito mais volume, o que significa que existem mais compradores e vendedores, o que aumenta a liquidez do ativo digital. Diferente dos outros crashes, esse machucou muita gente que nunca havia investido na vida e querendo ou não, isso é determinante. É preciso ter cuidado com esses tipos de previsões baseadas em passado, como essa:

o bitcoin vai se recuperar

Essas previsões não têm nenhuma validade estatística, são apenas eventos que se repetem historicamente. Definitivamente não temos como saber se esses ciclos ocorrem por acaso ou se realmente existe alguma teoria que torne isso plausível. Mas de qualquer forma, é uma análise divertida de se fazer ou imaginar. Espero de verdade que o Bitcoin chegue ao preço que está sendo prometido.

O que aconteceu no ano passado foi uma verdadeira histeria, parecia a corrida pelo Ouro na Serra Pelada, que explodiu no Pará durante os anos 80. Só que dessa vez, a corrida pelo ouro estava acontecendo no mundo digital. Muita gente vendeu tudo para entrar no Bitcoin e essas pessoas sofreram grandes perdas com a queda do mercado. Mas diferente dos crashes passado, o número dessas pessoas afetadas foi muito maior. Foi uma histeria global, isso é inegável.

Provavelmente você vai me dizer: bem feito, essa queda foi benéfica porque ela afasta pessoas que querem ficar ricas do dia para a noite. Isso é verdade, o mercado purga os “maus investidores”, mas quantos daqueles não poderiam ser potenciais utilizadores da moeda? Quantos deles vão voltar para o Bitcoin depois dessa queda? Ninguém sabe.

O meu ponto é: o trauma dessa vez atingiu mais pessoas e foi muito maior. Isso atrapalha a adoção e a recuperação do Bitcoin a curto prazo e até médio prazo. Talvez com uma nova geração economicamente ativa se torne potenciais investidores, mas isso leva tempo para acontecer. O Bitcoin chegou a alcançar US$ 294 bilhões de capitalização, hoje tem algo em torno de US$57 bi. Para o Bitcoin se recuperar, precisaríamos de US$ 237 bilhões de volta e isso não acontece tão rápido. Esse dinheiro pode retornar um dia, fico otimista quanto a isso, mas seria saudável para o Bitcoin uma recuperação lenta e gradual.

Halving

Outro ponto de otimismo entre os entusiastas de Bitcoin é de que o Halving em 2020 irá fazer o preço do Bitcoin disparar, igual foi das outras vezes. Pode ser que o Bitcoin se beneficie de outro halving, os preços talvez subam um pouco, mas não da mesma magnitude que foi em 2016. Mas pode ser que não, que o preço do Bitcoin caia de forma acentuada também. Novamente: acontecimentos passados não necessariamente acontecerão no futuro. Muitas pessoas repetem isso tranquilamente como se fosse uma certeza absoluta e a única certeza que temos do Bitcoin é a sua fascinante imprevisibilidade.

O Halving é uma informação pública e disponível a todos, além disso, é um evento altamente previsível e recorrente. Quase todo mundo que tem Bitcoin sabe que a taxa de bitcoins criados cai pela metade. Isso é um fator fundamental na escassez do Bitcoin.

O mercado já conhece essa informação, diante disso, é bem provável que uma boa parte do evento “Halving” já esteja refletido no preço do Bitcoin atualmente, junto do limite de 21 milhões. Não faria sentido esperar todo esse tempo de 4 anos para precificar um Halving.

Crise mundial

Um dos outros mitos é de que as pessoas vão correr para o Bitcoin quando explodir uma crise mundial igual ou maior em 2008. Não, isso não vai ocorrer no curto a médio prazo. Na verdade está acontecendo o contrário: muito dinheiro vem sendo drenado do Bitcoin ao longo desse ano. A Guerra Comercial entre China e EUA está derrubando mercados na Europa, na Ásia e na América do Norte. O preço do Ouro já está subindo e a taxa de juros nos Estados Unidos está subindo, isso atrai ainda mais pessoas para os títulos americanos, que são em tese, os mais seguros do mundo.

Em uma crise, os ativos de maior liquidez e risco são vendidos primeiro, o que foi o caso das criptomoedas. Depois disso, a tendência é que esse movimento de liquidação vá para o mercado de ações, com empresas de tecnologia até as mais robustas e antigas. Na crise, as pessoas vão para o ouro e títulos públicos americanos e isso não vai mudar no curto prazo. Porque esse comportamento já está aí há centenas de anos, vai levar um bom tempo até que aconteça uma mudança desse padrão e as pessoas comprem Bitcoin em uma crise.

O Bitcoin pode sim, se tornar um ativo de proteção, como já está sendo em países que experimentam hiperinflação e colapso nas suas moedas. Um desses países é a Venezuela, por exemplo, onde a inflação destrói o dinheiro a cada dia que passa. Contudo, ainda é preciso dar um tempo para que isso aconteça em países mais desenvolvidos.

ETF e Bakkt

Agora, a moda está sendo falar de ETF e Bakkt, para quem não sabe o que é isso, são duas formas para que o dinheiro institucional, ou seja, uma grande quantidade de dinheiro, entre no mercado de Bitcoin de forma regulamentada.

A ideia é que o dinheiro institucional jorre para dentro do mercado de criptomoedas, fazendo assim, o preço do Bitcoin disparar novamente. É um raciocínio que faz todo sentido, mas a verdade é que ninguém sabe se isso realmente vai acontecer. Todos esperavam que o Bitcoin chegaria a US$100 mil com a abertura de negociações dos futuros do Bitcoin, não foi isso o que aconteceu. Coincidentemente, o preço do Bitcoin começou a cair depois da abertura de negociação na Bolsa de Chicago.

Se o ETF e Bakkt provocassem um bull market, com certeza isso já estaria precificado há muito tempo. Afinal, se é certeza que o Bitcoin vai subir, então todo mundo pode ficar rico bem fácil, é só fazer long na Bitmex com alavancagem de 100x e esperar a abertura do ETF e da plataforma da Bakkt, dessa forma, o preço do Bitcoin já teria disparado.

Muitas pessoas acreditam que os investidores institucionais, ou seja, o Big Money, esteja provocando uma queda manipulada para possam acumular Bitcoins. Contudo, é preciso ter cuidado antes de acreditar nessas teorias, porque as coisas não são tão simples assim. Como seres humanos, é normal procurarmos padrões em meio ao caos, quando, na verdade, ninguém sabe o que está acontecendo.

É capaz que toda essa expectativa de dinheiro institucional, já tivesse sido precificada ainda em 2017, com muitas informações internas e privilegiadas, que sabemos que existe em todo mercado. Essa hipótese talvez seja altamente improvável, mas não impossível de acontecer.

Resumindo: ninguém sabe o que vai acontecer

A verdade é que não temos noção do que vai acontecer, apenas criamos expectativas baseadas em eventos passados. Isso é perigoso e delicado quando envolvemos nosso dinheiro. É recomendado cautela para evitar cair nesse tipo de armadilha. Pode ser que daqui a 5 anos eu esteja completamente errado, espero que realmente o Bitcoin se recupere. Mas não pelos mesmos motivos que fizeram com que ele tenha chegado até o que é hoje.

O Bitcoin veio para ficar, novas soluções para aumentar sua adoção estão sendo desenvolvidas. O maior desafio é torná-lo confiável para a população no geral, sair das pequenas bolhas de comunidades libertárias e anarquistas. Fazendo isso, acredito que a recuperação será gradual e saudável. Ou pode ser que mesmo assim, seu preço não recupere a máxima histórica, afinal, não temos a mínima ideia do que pode acontecer.

Gostou do conteúdo? Quer receber mais análises como essa? Então se inscreva no canal do Cointimes no Youtube e siga o FacebookTwitter e Instagram.