Calma, eu não estou criticando os jogos em NFT e sim criticando a forma que eles são tratados.

Entre 2020 e 2021 os jogos play-to-earn viraram uma febre, com a pandemia obrigando muitas pessoas ficarem em casa, essa inovação permitiu uma nova forma de renda sem sair de casa. Muitos jogos foram lançados e várias pessoas ganharam e também perderam dinheiro nessa brincadeira.

O conceito foi inovador e trouxe uma nova realidade para o mundo dos games, mas o caminho que ele tomou, por conta do nome dado, se tornou seu principal vilão. Minha crítica entra justamente nesse ponto.

Enquanto os jogos forem tratados como play-to-earn (jogue para ganhar), com a mentalidade de ser uma renda mensal, não existirá mágica em tokenomics que fará o jogo ter liquidez e se sustentar por um longo prazo. Conseguimos ver isso nos gráficos dos tokens dos principais jogos P2E’s

Passfolio
Gráfico CryptoMines
Gráfico CryptoCars
Gráfico BNB Hero Token
Gráfico Plant Vs Undead
Gráfico Bombcrypto

Por que isso acontece?

O principal ponto é que com essa mentalidade de renda, as pessoas querem um jogo que seja o mais simples e rápido possível, que com ações básicas ela complete os objetivos para receber os tokens de recompensa e saque imediatamente os lucros, drenando a liquidez da moeda em um período curto de tempo, pois ninguém está injetando a liquidez de volta, deixando o tokenomics insustentável.

Como resolver esse problema? 

Precisamos mudar o termo play-to-earn! 

Quando falamos de como a Web3 é importante para o novo cenário dos games, não é somente sobre ganhar dinheiro, mas sim pela possibilidade de possuir ativos digitais com os NFTs. Por isso defendo a mudança da mentalidade dos jogos em blockchain para Play-To-Own. 

Com essa mudança conseguimos direcionar os desenvolvedores de jogos e usuários para o benefício real da blockchain. Trazendo jogos mais completos, divertidos e imersivos com itens utilizáveis dentro do jogo em NFT como recompensa. Essa prática vai deixar a economia dos jogos muito mais saudáveis por 3 principais motivos:

  1. Itens em NFT como recompensa
    • Utilizando itens que são úteis dentro do jogo como recompensa, permitem que a saúde econômica seja sustentável. A recompensa não tem uma liquidez imediata de saque, para ele obter esse lucro, o jogador precisa vender o item para outra pessoa e aí sim gerar o lucro. Fazendo o dinheiro circular entre os jogadores e não consumindo a liquidez do jogo
  2. Usuários realmente gostam e se divertem com o jogo
    • Com o engajamento de um jogo divertido e imersivo, a comunidade se torna mais fiel e apoia o projeto em cada passo, sem contar que diversos itens ganhos como recompensa não serão “liquidados” por conta dos usuários terem a vontade de realmente utilizá-los no jogo, coisa que não acontece no cenário atual
  3. Blockchain e NFTs serem uma feature dos jogos e não uma categoria
    • Com a nova mentalidade e a blockchain e NFTs se tornarem uma feature de posse, economia e transações dentro de qualquer jogo. Isso rompe barreiras enormes de novos entrantes para esse mercado. Jogos tradicionais com um potencial imenso (como GTA, CS GO, The Sims etc… ) poderiam adicionar essa feature, quebrando atuais preconceitos que existem hoje de games tradicionais com a blockchain.

Com o mercado ganhando maturidade, veremos mais jogos seguindo esse caminho e a tecnologia se tornando mainstream no mercado de games.

Veja também:

Passfolio