Breaking News  
Ouro ou Bitcoin? Que tal escolher os dois? Bitcoin

Ouro ou Bitcoin? Que tal escolher os dois?

Fizemos um comparativo entre Ouro e Bitcoin e listamos suas vantagens. A conclusão é que ambos são ativos extraordinários que devem estar entre os investimentos de qualquer pessoa.

Lucas Bassotto
Lucas Bassotto

Estamos tendo a chance de rever o surgimento do Ouro diante dos nossos olhos, no entanto, um ouro não-físico, mas digital. São muitas semelhanças do Bitcoin em relação ao ouro e elas não foram por acaso.

Isso pode ser razoavelmente compreendido quando observamos os fatos:

  1. 1. O ouro é extremamente escasso e a sua oferta é limitada pela natureza
  2. 2 Suas características são imutáveis e estão garantidas pelas leis Físico-Químicas.
  3. 3. A sua mineração se torna mais difícil e demanda cada vez mais recursos escassos com o passar do tempo.
  4. 4. Apesar de o ouro estar concentrado, não há exatamente um dono ou entidade central que seja capaz de controlar, ou alterar suas características físicas.

Observando as características do Bitcoin, também podemos constatar algumas semelhanças:

  1. 1.O Bitcoin é extremamente escasso, sua oferta é limitada através de um regra imutável em seu código.
  2. 2. A sua mineração se torna mais difícil e demanda cada vez mais recursos escassos (eletricidade, computadores, espaço e capital humano) com o passar do tempo,
  3. 3. Apesar de o Bitcoin estar concentrado em poucas pessoas, não existe um único dono ou entidade central que seja capaz de controlar, ou alterar suas características.

Ouro ou Bitcoin?

O ouro, tal como o Bitcoin, não possui nenhum lastro ou valor garantidos por uma entidade central, ou governo. Nós já abordamos essa questão em outro texto, que você pode ler no link ao lado: O Bitcoin tem lastro? O seu valor é puramente subjetivo, e com o passar do tempo, suas características, tais como: divisibilidade, escassez, durabilidade e meio de troca aceito universalmente.

Que permitiram com que ele ganhasse espaço na sociedade, servindo como meio de troca, tornando-se lastreado em outros meios de troca que vieram antes dele, como por exemplo: trigo, couro e outras commodities que eram usadas como meio de troca antes do surgimento de moedas metálicas. Essa é particularmente uma história muito legal, se você se interessar, veja nosso post sobre a história do dinheiro.

O Bitcoin é altamente divisível (em até 8 casas decimais), é mais fácil de transportar, oferece mais facilidades para transações, sua durabilidade é infinita e, ele relativamente oferece mais segurança em crises ou colapso social e monetário: porque ele não pode ser confiscado ou bloqueado desde que seu dono mantenha sua chave privada segura.

ouro e bitcoin

Em termos de comparação, o Bitcoin tem algumas desvantagens em relação ao ouro: nosso bitcoin não existe fisicamente. Querendo ou não, isso representa muito. Mesmo que se diga o quanto o Bitcoin é seguro, as pessoas sempre terão um pé atrás com ele porque não se pode pegá-lo nas mãos,

Meu avô ia até o banco só para sacar o dinheiro dele, contar e depositar de novo. Apesar de parecer uma loucura, isso é extremamente comum: as pessoas se sentem mais seguras quando possuem um bem material que podem ter a qualquer momento. Talvez isso mude com as próximas gerações. Afinal, está cada vez mais comum ver as pessoas pagando no débito.

Além disso, o mercado de ouro é gigantesco, acumulando uma soma de US$ 7,8 trilhões de dólares, segundo a Forbes. Portanto, o mercado de ouro é muito menos suscetível a manipulação de preços como já vimos acontecer, diversas vezes, nos mercados de criptomoedas. Contudo, ferramentas de derivativos estão ajudando a estabilizar o mercado de Bitcoin nesse momento, a tendência é que ele melhore em relação a isso.

Outra desvantagem do Bitcoin em relação ao ouro é a confiança. Apesar de o sistema do Bitcoin ter se mostrado resiliente até agora, sua tradição e adoção nem de perto se compara ao ouro, que foi utilizado por milhares de anos e ainda vai continuar sendo usado. Em relação a isso, o ouro talvez seja insuperável.

A segurança de ambos

Como o Ouro é um ativo bem valioso, ele acaba sendo alvo de roubos, fazendo com que o seu detentor tenha de contratar os serviços de custódia, isto é, bancos. Geralmente esses serviços cobram uma taxa de administração e outra de custódia que podem sair caro. No Banco do Brasil, por exemplo, é cobrado 0,20% pela custódia do lingote.

Um dos grandes problemas com o ouro foi o sistema de reservas fracionárias. Era mais cômodo deixar ouro no banco do que andar com ele no seu bolso. Você recebia um certificado que valia o mesmo que o seu ouro no banco. Daí, todo mundo começou a usar esses certificados para fazer transações, exatamente como moedas de papel.

Então algum gênio percebeu que seus clientes não sacavam seu ouro ao mesmo tempo. Com isso, eles emitiam mais certificados do que ouro em custódia e emprestavam esse certificado a juros, como se fossem ouro. Isso deu início ao que conhecemos como: dinheiro fiduciário.

Essa é a custódia de ouro. Tirando o cara da empilhadeira, devem ter pelo menos uns 7 caras armados fazendo a segurança dessa sala.

O Bitcoin, por outro lado, relativamente apresenta maior segurança, porque nenhuma pessoa pode se apropriar dele sem possuir a chave privada do detentor, fazendo com que não seja necessário contratar um serviço de custódia de Bitcoin. Então, se torna muito mais fácil e barato manter bitcoins seguros do que o ouro. Se você não sabe manter Bitcoin em segurança e depende de outros para isso, veja nosso post sobre carteiras de Bitcoin: As melhores carteiras de Bitcoin.

ouro e bitcoin
Todo aquele ouro ali em cima cabe facilmente em uma Nano Ledger S. Que não custa mais que R$500.

Ou seja, para que suas moedas fiquem seguras, você não precisa contratar um banco para fazer isso por você. Basta não relevar a chave privada e mantê-la segura. Dessa forma, caso aconteça algum colapso ou situação extraordinária, bastaria você colocar sua chave privada em um papel e carregá-la consigo em direção a um país mais seguro. Seu dinheiro está ali, contigo, só que em forma de Bitcoin. Quando chegar no seu refúgio, é só convertê-lo para o que você quiser.

Além disso, o Bitcoin pode ser transferido para qualquer lugar do mundo, mais rapidamente e com menos custos do que o Ouro por ser um ativo digital. Portanto, o Bitcoin se torna superior quando é preciso fazer transferência de valores, transportar ou até mesmo estar em posse, porque oferece mais segurança e comodidade.

O papel do Bitcoin contra a violência

O Bitcoin poderia ter evitado uma série de situações históricas bem triste: o confisco de bens dos judeus pelo governo nazista. Ele poderia ter evitado o confisco do ouro da população americana pelo governo dos EUA e até mesmo o confisco da poupança dos brasileiros no governo Collor.

O famoso bloqueio de poupança do Collor.

A criptografia do Bitcoin não pode ser quebrada na base da violência e da força, porque é matemática. Você não resolve um problema de matemática batendo a cabeça no caderno, você para, pensa e resolve. Mas a diferença é que o “problema” para quebrar a criptografia do Bitcoin até o momento é extremamente difícil ou quase impossível.

Estamos vendo o surgimento de uma nova classe de ativos que está intrigando economistas, governos, bancos e outros setores financeiros ao redor do mundo. Temos um ativo digital escasso, não confiscável, descentralizado e que pode ser transferido para qualquer lugar do mundo. Antes das criptomoedas, o que mais tinha essas características?

Que tal os dois?

O objetivo desse texto não é dizer se um é melhor que o outro. Pelo contrário: exaltar ambos. O ouro é um ativo fantástico e deve fazer parte de qualquer investimento, assim como o Bitcoin. Foram mostradas no decorrer do texto as vantagens e desvantagens de cada um, que devem ser consideradas no momento da compra.

Ambos ativos vão garantir para você duas coisas: se afastar de um sistema monetário tóxico, que é o dinheiro fiduciário, isto é, sem lastro. E garantir a você dois bens legitimamente escassos e seguros. Faça um bom proveito de ambos.

Este tipo de conteúdo é relevante para você ou alguma pessoa que você conhece? Se for, siga e compartilhe a página do Cointimes e se mantenha sempre atualizado no mercado – FacebookTwitterInstagram.

Lucas Bassotto
Lucas Bassotto

Sou Lucas Bassotto, graduando em Economia. Um grande entusiasta do mundo da criptoeconomia. Atualmente trabalho na Foxbit produzindo conteúdo.

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.