Após rumores de que o PayPal estaria interessado em oferecer compra e venda de bitcoin para seus clientes, de repente o suporte se prestou a responder uma reclamação de nove anos atrás que citava a criptomoeda.

Em 2011, o usuário Neeraj K. Agrawal tornou pública sua indignação com um suposto erro da plataforma em uma transação, tuitando:

“Me dê o meu maldito dinheiro, @paypal. Eu deveria ter feito essa transação em bitcoin.”

Agrawal, diretor de comunicações do Coin Center, fazia alusão ao fato da rede Bitcoin não precisar de intermediários para realizar transações, além de não depender da permissão de uma plataforma central.

Ao ter feito o envio através do PayPal, Agrawal enfrentou problemas e teve que esperar não menos que 9 anos para obter alguma resposta no Twitter, um tempo de espera de fazer inveja em serviços públicos brasileiros:

“Olá! Obrigado por contactar o PayPal. Por favor nos envie uma mensagem privada com mais informações e o seu email de registro para continuarmos a prestar assistência.”

Enquanto alguns podem argumentar que “melhor tarde do que nunca”, considerando que o usuário já conhecia Bitcoin desde 2011 e hoje trabalha com isso, é muito provável que ele não precise mais do dinheiro preso no PayPal.

Vale lembrar que o Paypal foi uma das empresas que colocou o Bitcoin em destaque em 2010. A companhia bloqueou as contas do Wikileaks, que passou a aceitar Bitcoin para doações. Isso aconteceu em 2010, quando o bitcoin era mais barato, e o site arrecadou cerca de 4025 bitcoins, fazendo com que Assange acabasse agradecendo pela censura.

PayPal deve oferecer compra e venda de bitcoin, dizem rumores

Com o tempo, a empresa parece ter notado as vantagens da criptomoeda em relação a serviços centralizados e começou a se mexer. Há 6 dias, uma vaga de “Engenheiro Cripto” surgiu no LinkedIn do Paypal

“A função inclui projetar, desenvolver e manter produtos / recursos de criptomoedas chaves  direcionados à disponibilidade, desempenho e escalabilidade dos serviços do PayPal”

diz a descrição da vaga.

Como noticiamos anteriormente, a receita milionária impulsionada por serviços relacionado a criptomoeda da concorrente CashApp deve ter aberto os olhos do PayPal.

No primeiro trimestre de 2020, o Paypal liberou dados sobre seus resultados fiscais, revelando um crescimento de 12% na receita e um fluxo de US$ 1.5 bilhões em dinheiro em operações.

Além disso, cerca de 27 milhões de novas contas ativas líquidas foram criadas até Abril na plataforma, com uma média de 250 mil contas por dia.

Já no segundo trimestre, houve um aumento de 17% na receita, e é de se esperar que as projeções se estendam ainda mais com os rumores da implementação de Bitcoin à plataforma de pagamentos da empresa. Além do impacto positivo que isso traria ao ecossistema da criptomoeda, alcançando novos investidores e trazendo dinheiro novo ao mercado.

Por fim, é possível afirmar que o Paypal ter “ressuscitado” um tweet de quase 10 anos de idade com citação tão específica ao Bitcoin, logo após os supostos vazamentos, pode ser sinal de uma estratégia de marketing sutil para confirmar os boatos? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.