Rispar

Os comerciantes de varejo na Venezuela estão se recusando a aceitar pagamentos em El Petro, já que a hiperinflação está causando uma desvalorização maciça para a liquidação da criptomoeda nos bancos.

Enquanto isso, o governo do país reintroduziu os inspetores de controle de preços como parte dos esforços para pressionar as lojas a aceitar a moeda digital emitida pelo estado.

Leia mais:
++ Venezuela descumpre promessa e vai lastrear Petro com apenas 30M barris de petróleo
++ Criptomoedas sem futuro para 2020, o que não comprar

Comerciantes chamam Petro de fraude

Segundo a plataforma de mídia venezuelana Tal Cual, os comerciantes do país abandonaram a Petro como forma de pagamento.

Coinext 760x150

 

Relatórios dizem que comerciantes que tentaram liquidar suas participações de Petro no Banco da Venezuela receberam valores desvalorizados de Bolívar.

Com o Bolívar perdendo quase 99% de seu valor somente em 2019, os comerciantes estão vendo seu estoque de Petro liquidado por centavos.

Comentando a situação, Josefina Salvatierra, diretora executiva do Consecomercio – Conselho Nacional de Comércio e Serviços da Venezuela, comentou:

“Os poucos que estão liquidando estão fazendo isso com o indicador do momento em que a venda foi realizada, o que obviamente agrava ainda mais a situação, porque em um processo hiperinflacionário é muito difícil vender a crédito sem praticamente indexar a dívida.”

Segundo Salvatierra, os comerciantes que aceitam o pagamento em Petro correm o risco de não conseguir reabastecer seus estoques, devido à enorme hiperinflação no país.

A ex-presidente do Consecomercio, María Carolina Uzcátegui, chegou a chamar a fraude de criptomoeda, de acordo com o relatório local.

“O petro é uma farsa para o comerciante, porque, sem dúvida, o que ele poderia fazer no começo do ano com esse dinheiro não é a mesma coisa que ele pode fazer no momento.”

Administração de Maduro traz de volta “polícia do preço”

De acordo com o Wall Street Journal (WSJ), o governo está encarregando uma equipe de inspetores da tarefa de impor o controle de preços em todo o país.

Para o governo, a medida faz parte dos esforços para conter a hiperinflação. No entanto, os críticos apontam para a política de impor a aceitação de Petro como mais uma prova das tentativas de Maduro de reforçar seu controle da economia do país.

Os varejistas que abandonaram a Petro serão um golpe no objetivo do governo de garantir a utilização ampla da cripto emitida pelo estado no país. Desde sua introdução, o governo Maduro tentou promover sua agenda Petro com pouco sucesso.

Leia também: “Criptomoedas deveriam ser desligadas”, diz nobel de economia


Invista em criptomoedas com segurança, alta liquidez e as menores taxas do mercado.

NovaDAX: a exchange mais completa do Brasil com mais de 25 criptomoedas listadas e a melhor nota de atendimento ao cliente.

Conheça novadax.com.br