Passfolio

Segundo o banco, a economia dos EUA vai cair em uma recessão no segundo semestre de 2022, e as ações vão continuar sofrendo. 

A estrategista Savita Subramanian baixou sua meta de final de ano no S&P 500 para 3.600 de 4.500 na quinta-feira, tornando-a a mais baixa entre os estrategistas de Wall Street nas principais empresas.

A meta representa um declínio de 5.3% para o S&P 500 a partir do nível de fechamento de quarta-feira (13), que foi de 3.801,78. O índice já caiu 20% este ano.

O maior corte veio depois que economistas do Bank of America previram uma recessão ainda em 2022.

Passfolio
Fonte: CNBC

Subramanian escreveu também que não existem duas recessões iguais, mas que o mercado “normalmente lidera a economia, atingindo um pico antes que as recessões comecem e diminuindo antes que as recessões terminem.” Mas, ela indica, “ocasionalmente ele se atrasa, como em 1980.”

“Nossa equipe de derivativos vê maiores riscos de queda para as ações, dado o diferencial historicamente amplo entre as taxas e a volatilidade das ações, e acredita que as ações não estão descontando adequadamente uma recessão se já estamos em uma. Nosso conselho para os investidores em ações: mantenham a qualidade e o rendimento do fluxo de caixa.” 

Diz a analista.

Subramanian disse que o índice poderia cair muito mais antes do final do ano, estabelecendo a faixa de 3.000-3.200 como um piso potencial para as ações.

O Bank of America também cortou suas projeções de lucros do S&P 500, esperando agora que as grandes empresas ganhem US $218 por ação em 2022, e US $200 em 2023. Anteriormente, o Bank of America havia traçado lucros de US $221 e US $230 por ação para cada ano, respectivamente.

Leia também:

Passfolio