Relatório da Glassnode indica possíveis sinais de capitulação de mercado e compara o momento atual do Bitcoin com ciclos passados.

Sinais de capitulação e fundo gráfico no BTC

De acordo com estudos de ciclos e comportamento de mercado, muitos investidores defendem que o momento final de um mercado de baixa, também conhecido como bear market, grandes traders, com alta convicção sobre o ativo, que seguraram durante o pior momento, podem acabar vendendo no prejuízo, realizando as perdas.

Este evento é chamado de capitulação e ele pode ocorrer por liquidação forçada de posições alavancadas; necessidade financeira; emergências; necessidade de fluxo de caixa ou outros motivos diversos.

De qualquer maneira, o período de capitulação normalmente antecede o período de raiva e seriam as duas fases finais da queda, formando os fundos de preço (o preço mais baixo do ciclo, após alta histórica ou topo) e antecedendo o início da recuperação do mercado.

O relatório da Glassnode da 28ª semana do ano levantou alguns sinais de capitulação ocorrendo neste momento, além de outros sinais de formação de fundo.

Recuo do preço após ATH

Antes de entrarmos em sinais mais específicos, vale observar o que aconteceu em relação à perda de capital no ciclo anterior, no inverno cripto de 2018.

Da alta histórica de 2017, até o final de 2018 foram 11 meses de quedas no preço do Bitcoin, com um período de indecisão e menor volatilidade na faixa dos US $6.000, que criou uma espécie de suporte gráfico.

Algo parecido ocorreu desde o topo duplo de 2021, em um período de 14 meses de quedas, até uma certa estabilidade na faixa dos US $30.000.

Esse momento, na teoria dos ciclos, é chamado de “negação”, quando muitos ainda acreditam que foi apenas uma correção natural e uma ótima oportunidade de acumulação. E então vem o “pânico”, na sequência.

Gráfico: "Bitcoin: Recuo de Preço desde a Alta Histórica"
“Bitcoin: Recuo de Preço desde a Alta Histórica” Fonte: Glassnode

Em 2019, o “pânico” ocorreu com o rompimento do suporte de preço em $6 mil dólares e possivelmente com o rompimento dos $30 mil dólares em 2022. O que levou a uma queda de 50% em um período curtíssimo de um mês, dentro de 4 meses de acumulação na sequência do ciclo passado.

No atual, é possível que o pânico tenha tomado conta do mercado com uma queda de cerca de 47% no mesmo período de um mês após perder o suporte.

O que se seguiu nos 3 próximos meses em 2019, foi um período de capitulação, onde alguns investidores que não pretendiam vender, se renderam ao inverno cripto, assumindo perdas sobre seu patrimônio.

A linha do tempo bate com o momento atual e alguns sinais indicam que isso pode estar acontecendo, conforme já noticiado no Cointimes:

Saiba mais:

Endereços continuam gastando moedas no prejuízo

Vários indicadores on-chain têm mostrado que endereços começaram a gastar moedas antigas, no prejuízo. Algo muito parecido ocorreu no mesmo período de “capitulação” e “raiva” do fim do ciclo de 2016-2019.

Um destes indicadores pode ser o SOPR, em uma média de 30 dias, que mostra este ato de mover moedas na blockchain para outro endereço (gastando as moedas) em um preço inferior ao que o BTC estava quando estas moedas chegaram até o endereço em um primeiro momento.

Gráfico: "Bitcoin: SOPR (média móvel de 30d) dos Holders de Longo Prazo"
“Bitcoin: SOPR (média móvel de 30d) dos Holders de Longo Prazo” Fonte: Glassnode

De acordo com o SOPR, os holders de longo prazo têm realizado cerca de 33% de perdas nesta semana atual.

Sinais de capitulação para os mineradores

Outra importante fonte de informação do mercado para o Bitcoin são os mineradores, responsáveis pela criação e distribuição de novas moedas, sendo os únicos beneficiados pela inflação do BTC de cerca de 1,7% no halving atual, em troca de manterem a rede segura através do Proof of Work.

Essa inflação, com o despejo das novas moedas no mercado tem pouco efeito no preço do Bitcoin em momentos de alta, já que a demanda pelo ativo normalmente está em patamares altíssimos, mas são nos mercados de baixa que a constante pressão vendedora proveniente do aumento da oferta pode ser um inconveniente.

Indicadores on-chain mostram que os mineradores estão em um momento propenso para a capitulação, ilustrado pelas barras de “Miner Capitulation” que é calculada através de uma combinação dos dois outros índices.

O primeiro (PM) que mede as receitas dos mineradores em BTC/USD em comparação com uma média dos últimos 12 meses; e o segundo (ribbon) que pode mostrar quando parte da hashrate está sendo desligada, diminuindo a dificuldade de mineração.

Gráfico: "Bitcoin: Rastreando a Capitulação dos MIneradores"
“Bitcoin: Rastreando a Capitulação dos MIneradores” Fonte: Glassnode

Picos de indicação de capitulação por parte dos mineradores, segundo essa métrica acima, coincidem com finais de bear markets anteriores e nós começamos a ver estes sinais agora.

Conclusão

Dificilmente analistas conseguem acertar com exatidão topos e fundos, mas os sinais podem ajudar os investidores a tomarem boas decisões. Ao que tudo indica, estamos chegando muito próximos do fundo deste ciclo atual e devemos ver uma recuperação em breve, mas o preço sempre pode cair mais e acontecimentos passados não são garantia de acontecimentos futuros.

Leia mais:

Passfolio