Cointimes

ADs

Veterano do mercado explica porque Wall Street não entende o Bitcoin

Varejo impulsiona Bitcoin e Dolar

Um homem que passou 13 anos em Wall Street alega que algumas pessoas nas finanças tradicionais não entendem a história ou as propriedades do dinheiro.                                    

John Haar, um antigo membro da divisão de Gestão de Ativos do Goldman Sachs, publicou um artigo controverso detalhando o que ele percebia ser opiniões comuns sobre Bitcoin, dinheiro e economia em Wall Street.

Ele listou várias razões pelas quais os membros das finanças tradicionais se opõem ou não apreciam o potencial do Bitcoin como dinheiro global.

Saiba mais: Como a crise macroeconômica atual impacta o mercado de criptomoedas?

Ignorância da história econômica

Como explicado em um post para o blog da Swan, Haar disse que nem todo mundo no mercado dedicou tempo para entender a história ou os fundamentos do dinheiro. 

Por exemplo, segundo Haar, alguns investidores tradicionais não compreendem as características que fizeram do ouro o dinheiro historicamente dominante: durabilidade, divisibilidade, capacidade de reconhecimento, portabilidade e escassez.

Por extensão, isto poderia explicar a compreensão de Wall Street sobre o Bitcoin, que é frequentemente referido como “ouro digital” por possuir estas qualidades “de maneira ainda mais forte.”

Em seu Twitter, ele demonstrou certa evolução em como as pessoas entendem e percebem o Bitcoin: 

“Respostas à pergunta ‘o que você acha do Bitcoin’ em diferentes anos
2012: O que é Bitcoin?
2017: Bitcoin é um esquema utilizado apenas para atividades ilícitas.
2022: O Bitcoin está altamente correlacionado com o Nasdaq. Os governos não permitirão que ela exista.
2027: ?
Existe uma tendência aqui…”

“Na medida em que aqueles que trabalham nas finanças tradicionais têm qualquer opinião sobre a história ou fundamentos do dinheiro, ela é quase inteiramente moldada pela economia keynesiana”, disse ele, “e talvez pela teoria monetária moderna em anos mais recentes”.

Tanto a teoria econômica keynesiana quanto a teoria monetária moderna defendem o controle centralizado da oferta de dinheiro de uma nação para administrar a economia. 

O Bitcoin, ao contrário disso, assemelha-se a uma commodity, com uma oferta absolutamente fixa que ninguém pode mudar. 

Saiba mais: Empresa-mãe do Google investe US $1,5 bilhão em empresas de blockchain

Visão econômica privilegiada

A visão de mundo das finanças tradicionais está geralmente contida em países desenvolvidos com moedas relativamente estáveis e direitos de propriedade garantidos. Sob tais circunstâncias, a necessidade do Bitcoin é menos aparente do que para os cidadãos da Argentina, Turquia, Venezuela, Nigéria, e similares, onde a adoção do Bitcoin é bastante elevada.

Com isso, Haar conclui que a maioria das pessoas nas finanças tradicionais que se opõem ao Bitcoin não chegaram a sua posição através de profunda pesquisa ou compreensão, uma vez que, teoricamente, o Bitcoin poderia permitir que as pessoas armazenassem sua riqueza sem “investir” seu dinheiro.

Leia também:

Leia outros conteúdos...

© 2023 All Rights Reserved.

😲 Você sabia que pode estar PERDENDO dinheiro enquanto lê notícias? 📰

🔥 Baixe nosso app AGORA e GANHE Bitcoin enquanto se informa! 🔥

⏰ A cada segundo que passa, é Bitcoin que você deixa de ganhar! ⏰

Cover

Ganhe Bitcoin assistindo Youtube, navegando na internet ou fazendo compras!