“Resistimos à invasão dos exércitos; não resistimos à invasão das ideias”, Victor Hugo.

Antigamente as guerras eram travadas entre exércitos e fuzis, hoje são travadas com hackers e memes, e talvez esse seja o principal campo de batalha do Bitcoin e das criptomoedas, a guerra dos memes.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (mais conhecida como Nato) soltou um relatório mostrando como as principais potências e exércitos do mundo têm usado memes a seu favor envolvendo conflitos reais.

Um dos maiores exemplos foi a invasão da Crimea pela Rússia em 2014, a anexação aconteceu com o uso de tropas não identificadas, difusão de fake news pelo governo russo e memes, muitos memes.

Putin de óculos falando sobre a invasão da Crimea
“Parece que é hora de uma Reunião Soviética”, diz o meme de Putin, presidente da Rússia.
meme sobre invasão da Crimea
“Anexa a Crimea e o seu coração”, diz o meme exaltando a beleza de Natalia Poklonskaya, política russa.

“O papel dos meios não militares para alcançar objetivos políticos e estratégicos cresceu e, em muitos casos, eles excederam o poder da força das armas em sua eficácia”, escreveu em 2013 o Gen. Valery V. Gerasimov, chefe do estado-maior geral das Forças Armadas Russas.

De onde o meme surgiu?

Mas o que é um meme? É muito mais do que uma imagem engraçada na internet. A ideia de meme surgiu no livro “O gene egoísta” de Richard Dawkins e ela é resumida como “unidades de transmissão cultural”.

Em termos simples, os “memes são para cultura o que os genes são para a vida. Assim como a evolução é dirigida pela sobrevivência do gene mais forte na piscina de genes, a evolução cultural talvez seja dirigida pelos memes de maior sucesso.”

Segundo o pesquisador Francis Heylighen, o processo do meme pode ser descrito em 4 etapas:

  • Assimilação: Quando o meme “infecta” um novo hospedeiro;
  • Retenção: Quando o meme fica retido na memória;
  • Expressão: Aqui acontece a comunicação do meme como unidade de informação para outros;
  • Transmissão: Ocorre quando o meme se espalha para outra pessoa por algum meio como livro, tv ou internet.

O sucesso do meme pode ser medido pelo seu “meme fitness”, uma função matemática que calcula a capacidade replicadora do meme.

A ideia de usar memes como arma é antiga, a SMISC (Sociail Media in Strategic Communications) da organização Darpa dos EUA gastou milhões de dólares em estudos sobre o uso, impacto e propagação dos memes nas redes sociais.

Em seu livro Social Physics, o professor do MIT Alex Pentland escreve: “Devemos parar de pensar nas pessoas como tomadores de decisão independentes e perceber que os efeitos sociais dinâmicos são igualmente importantes na formação de nossas ideias e são a força motriz por trás das bolhas econômicas, revoluções políticas e a economia da Internet.”

A física social, em suma, demonstra de forma quantificável como as redes sociais impactam a disseminação dos memes.

A importância para o Bitcoin

Para James Lopp, desenvolvedor do Bitcoin Core, o próprio protocolo do Bitcoin é moldado através de memes.

“As narrativas de Bitcoin ajudam a reforçar seus atributos importantes. Bitcoin é um organismo vivo que deve lutar contra invasores que procuram enfraquecê-lo por meio de vírus mentais. Narrativas são os glóbulos brancos que lutam contra mudanças que resultariam na degradação de propriedades valorizadas. As narrativas são propagadas por meio de memes.”, afirma Lopp.

Leia também: Estudo mostra as mudanças de narrativas sobre “o que é Bitcoin”

Mas muito além da importância interna dos memes para o sistema de consenso do Bitcoin (e aqui há muito a se explorar, como os forks e guerras de narrativa), a guerra dos memes pode ser determinante para o preço do bitcoin e talvez seu sucesso no longo prazo.

Veja também: Desafio viral do TikTok faz Dogecoin subir 20%

A guerra de narrativas dos apoiadores do Bitcoin é, geralmente, contra o Banco Central ou os grandes bancos e os próprios memes mostram isso.

Um dos exemplos positivos é o meme “go brrr”, atualmente usado para mostrar como o FED e outros bancos centrais querem salvar as bolsas e a economia imprimindo dinheiro.

Primeiro meme do “money printer go brrrr” feito por @femalelandlords x Wolf3500 “Brrrr” postado em /r/Anarcho_Capitalism

Do outro lado da moeda temos os memes que vão contra o Bitcoin, geralmente essas são ideias espalhadas pela mídia tradicional e pessoas ignorantes sobre o tema. Quer exemplos?

Os melhores memes do Bitcoin

Além do “go brrr” que viralizou na internet recentemente, outros memes ficaram conhecidos pelo público e estão mostrando a diferença entre a economia de livre mercado do bitcoin e a dos bancos centrais.

Um dos mais famosos é o “Poder de compra” que acaba aumentando de acordo com o preço do Bitcoin, ele serve como uma reviravolta ao meme que escancara a perda do poder de compra da moeda fiduciária com o tempo pela inflação.

carrinho de compras  meme do bitcoin

Outro meme conhecido é o “To The Moon”, ele indica o rápido crescimento da criptomoeda no caminho para a Lua.

bitcoin meme to the moon

O #ToTheMoon é uma referência ao usuário ToTheMoonGuy do Reddit, a qualquer alto no preço ele postava “To the moon!!! ┗(°0°)┛”

Leia também: A origem do meme Hodl com um bêbado triste

Exército de memes das criptomoedas

A grande diferença do Bitcoin e das criptomoedas é seu modelo aberto, dessa forma, qualquer pessoa pode fazer um meme sobre o bitcoin e se juntar ao exército de criadores sem impedimentos legais.

Para se alistar no exército de memes do bitcoin basta entrar no grupo do Facebook Bitcoin no Brasil –  Cointimes e compartilhar suas ideias. Além de receber os mais novos memes, você também vai ficar por dentro das principais notícias e poderá discutir sobre o mercado de criptomoedas conosco.