Enquanto as taxas de transferências do Ethereum batem recordes, a Bitrecife implementou uma ferramenta que ajusta a taxa de saque do ether na corretora de acordo com o congestionamento da rede, permitindo uma considerável economia para os usuários.

O encarecimento da rede Ethereum

Se você usa ou negocia ethers, já deve ter percebido o aumento das taxas médias da rede Ethereum e o quanto isso prejudica os ganhos do investidor. Há cerca de três meses as taxas de rede chegaram a um pico de 14 dólares, ultrapassando até mesmo o Bitcoin em valor total gasto em taxas em um único dia.

Taxa média na rede Ethereum. Fonte: Bitinfocharts
Taxa média na rede Ethereum ao longo do tempo. Fonte: Bitinfocharts

Os fatores que causaram isso são diversos, mas a crescente demanda por moedas estáveis (stablecoins), geralmente representadas por tokens ERC-20 na rede Ethereum e a recente euforia por tokens DeFi podem ser os principais motivos.

De fato a rede Ethereum está sendo tão usada quanto o blockchain do Bitcoin para transferências de valores, como mostrou o pesquisador da Messari Ryan Watkins em abril deste ano.

Valor transferido em ether e stablecoins ERC-20 alcançando o valor transferido no blockchain do Bitcoin. Fonte: Messari.
Valor transferido em ether e stablecoins ERC-20 alcançando o valor transferido no blockchain do Bitcoin. Fonte: Messari.

E é por conta desse gigante aumento na demanda por transferência de valor que o Ethereum está propondo significativas melhorias no código e a mudança para Ethereum 2.0. Mas enquanto o problema não é definitivamente resolvido, os usuários acabam por pagar, na média, taxas cada vez mais altas.

O impacto de se pagar altas taxas

A situação se agrava quando o usuário ainda não tem os tokens em carteira e o controle para ajustar a taxa da forma em que gostariam. Nas exchanges, portanto, é onde as pessoas mais estão pagando caro.

As corretoras costumam prezar mais pela velocidade na confirmação da transação, em vez da economia em taxas, a fim de proporcionar uma melhor experiência para o usuário, que não teria que lidar com transações demoradas demais para confirmar.

Pensando nisso, a Bitrecife, exchange com sede em Pernambuco, desenvolveu recentemente uma forma de ajustar a taxa de acordo com o congestionamento da rede para proporcionar o melhor dos dois mundos para os clientes, transações rápidas e baratas.

No momento que escrevemos este artigo, a taxa de saque da Bitrecife é de 0.004 ETH (cerca de R$ 7,76). Há apenas algumas horas atrás ela estava em 0.006 ETH, tendo se ajustado automaticamente ao observar as movimentações no blockchain do Ethereum de forma correta.

dados de saque da Bitrecife

Enquanto isso, as demais exchanges costumam deixar uma taxa fixa e geralmente pecando pelo excesso, pelos motivos explicados anteriormente. Neste momento, as principais exchanges brasileiras estão cobrando por volta de 0,01 ETH a 0,08 ETH (cerca de 20 a 155 reais), chegando a um valor 1233% maior que a da Bitrecife.

Para os investidores que, por exemplo, costumam comprar e sacar uma vez por mês, isso pode fazer uma diferença enorme. E enquanto isso os entusiastas da criptomoeda aguardam pelo possível sucesso do Ethereum 2.0 para resolver em definitivo o problema das taxas de transferências na rede.