Você usa dinheiro de papel? Aquelas notas de dois reais, dez reais… Com a popularização dos aplicativos de internet banking, principalmente pela facilidade na utilização, cada vez menos brasileiros estão utilizando dinheiro de papel para fazer pagamentos e transferências.

Segundo relatório do Banco Central do Brasil, o uso de dinheiro de papel por brasileiros vem caindo em pagamentos e transferências. A pesquisa contemplou 67 cidades de capital e região metropolitana e 33 cidades de interior.

Meios de pagamentos digitais se tornam mais populares.

Isso mostra que a tecnologia, lentamente, está ocupando um espaço significante no cotidiano dos brasileiros. Ainda existe um longo caminho a ser trilhado até que o brasileiro deixe de utilizar dinheiro em espécie para a maioria das transações. No entanto, a tendência é que a tecnologia assuma maior protagonismo nos meios de pagamento. Quase 66% das operações bancárias são feitas através de meios digitais, o que mostra que as cenas de filas em banco se tornarão coisa do passado. O relatório do Banco Central do Brasil traz mais dados interessantes.

O que diz o relatório

Cerca de metade (48%) dos brasileiros recebem seu salário através de conta bancária, seja ela conta salário, corrente ou poupança. Atualmente, grande maioria dos bancos oferece um internet banking com o intuito de facilitar transações e investimentos para os seus clientes. Isso mostra que existe um grande potencial para que pagamentos através de meios digitais sejam feitos.


Quer ganhar Bitcoins?
A gente te ajuda nisso.
Abra uma conta grátis!


 

Existe aí um grande potencial para a digitalização dos pagamentos e transações, o que definitivamente está ocorrendo. Longe da realidade brasileira, a Suécia poderá ser o primeiro país do mundo a dispensar completamente o uso do dinheiro físico. Apenas 18% das transações são feitas utilizando dinheiro. O Brasil ainda está longe, mas o uso de dinheiro em espécie está caindo.

uso do dinheiro

O dinheiro em espécie ainda é o meio mais utilizado pelos brasileiros para o pagamento de contas ou fazer compras. Ele conta com cerca de 60% dessas transações, contudo, os cartões de débito e crédito somam 37% das transações, que são pagamentos que utilizam tecnologia, ou seja, que não utilizam dinheiro físico.

uso do dinheiro

Uso de dinheiro em espécie tem caído

Os comércios, segundo a pesquisa, relataram um recuo de 5% no uso de dinheiro em relação a 2013. O uso de cartão de crédito diminuiu 4% enquanto o uso de cartão de débito subiu 11%. Isso mostra que nos últimos anos, os brasileiros estão preferindo pagar suas compras à vista e o menor uso do cartão de crédito está atrelado ao maior endividamento da população.

uso do dinheiro

Quando analisamos o comportamento do brasileiro em relação ao meio de pagamento utilizado por valor da compra, vemos o uso de dinheiro predominar para pequenas transações de até R$1oo. Isso é comum porque as transações eletrônicas (débito e crédito) ainda demandam um custo de tempo e tecnologia que não são desprezíveis. Então é mais conveniente usar dinheiro em espécie por conta da rapidez e até mesmo pelo desconto oferecido por lojistas.

uso do dinheiro

O dinheiro, obviamente é aceito por 99% dos estabelecimentos, seguido de perto pelas opções de crédito/débito. Isso mostra que a tecnologia está ganhando espaço e os pagamentos digitais já são uma realidade na maioria dos estabelecimentos brasileiros. O que é devido à popularização e barateamento das máquinas de cartão de crédito e débito.

uso do dinheiro

O que podemos concluir

Existe uma clara tendência da digitalização dos meios de pagamento e transferências. A forma que a população está lidando com dinheiro muda lentamente, mas a tendência é acelerar. Isso significa que ele vai acabar? Obviamente não, ele ainda tem o seu papel para pequenas transações pela facilidade e baixo custo. 

A tendência de digitalização do dinheiro mostra que a aceitação de criptomoedas pode ser facilitada em um futuro próximo. Até lá,seu uso predomina entre as classes C e D e entre locais distantes dos grandes centros. Contudo, o crescimento da geração Z pode acelerar ainda mais esse processo de digitalização do dinheiro. Apenas 6% das transações feitas pela geração Z envolvem dinheiro em espécie, o que é um indicador de mudança no futuro.

Talvez esse fenômeno abra espaço para que as criptomoedas sejam mais utilizadas como meio de pagamento. Contudo, existem desafios: volatilidade, experiência difícil para novos usuários e até mesmo custo. Desde que esses problemas sejam resolvidos, as criptomoedas podem pegar carona na digitalização do dinheiro, aumentando sua adoção. São notícias animadoras para um futuro mais próximo do que imaginamos.

Leia também:

Este tipo de conteúdo é relevante para você ou alguma pessoa que você conhece? Se for, siga e compartilhe a página do Cointimes e se mantenha sempre atualizado no mercado – FacebookTwitterInstagram.


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!