Estamos em uma semana extremamente importante para o cenário político chinês, é a chamada “Two Sessions” 全国两会 no qual mais de 3 mil políticos do PCC se reúnem para tomar decisões de nível nacional e claro, o blockchain está na pauta.

De acordo com o último relatório da agência de notícias local Beijing News, a criação de um fundo de desenvolvimento focado em  blockchain foi enviada ao Congresso Nacional do Povo (NPC) da China. O relatório afirma que Tan Jieqing, um deputado do NPC e diretor do Instituto de Matemática Aplicada da Universidade de Tecnologia de Hefei, foi quem propôs o fundo durante a reunião anual do congresso.

Tan disse que a China deveria estar trabalhando “vigorosamente” no desenvolvimento da indústria de blockchain para promover a modernização do sistema de governança do país. Além da modernização, o país pode ver enormes benefícios com o uso dessa tecnologia, pois permite “expandir o emprego” e tem um enorme “potencial econômico”.

Apesar dos grandes esforços feitos pelo Banco Popular da China (PBoC) e vários outros governos locais no país, Tan acredita que o número de empresas de blockchain na China ainda é pequeno. Os desenvolvimentos de blockchain não têm a escala, velocidade e força necessária para competir no mercado global.

Tan sugeriu que um fundo especial para o desenvolvimento da indústria de blockchain precisa ser estabelecido pelo governo. Isso incentivaria a inovação necessária para o avanço da tecnologia.

Blockchain é diferente de Bitcoin

Enquanto a China é completamente a favor de usar blockchain, até mesmo lançando um app para controlar seus cidadãos com a tecnologia, a mesma coisa não pode ser dita sobre o Bitcoin.

O governo chinês é ambivalente quanto ao uso de criptomoedas, enquanto alguns governos regionais dependem do dinheiro da mineração, o PCC parece não gostar da ideia de um dinheiro do povo e impossível de ser confiscado.

Ainda precisamos ver se o governo irá aprovar esse ambicioso fundo, mas já sabemos que esses recursos vão passar longe do bitcoin.