A República Popular da China foi o primeiro país a criar um ranking de criptomoedas, o Centro Chinês para Informação Indústria e Desenvolvimento (CCID) é o responsável pela publicação.

Apesar de parecer um pouco “esquizofrênico”, visto que o governo chinês baniu muitas formas de usar criptomoedas, Eric Zhao dono da conta que expôs os dados,  explicou que muitos “experts” do Partido Comunista Chinês ainda não entenderam a tecnologia. Talvez essa ignorância tenha levado o governo chinês a tomar atitudes contrárias ao Bitcoin e criptos em geral.

O órgão chinês usou 3 filtros para criar a avaliação, são eles: inovação, tecnologia e aplicação. O algoritmo de rankeamento também leva em conta a facilidade de criar nodes públicos e outros fatores.

A lista mostra o recém lançado EOS como o primeiro colocado, pontuando muito bem em inovação e tecnologia. O Ethereum caiu para a segunda posição em comparação com a lista anterior.

Ethereum: uma análise completa

A lista também conta com o Bitcoin, porém ele aparece longe dos primeiros colocados, na 17° posição.

Index govenro chinês
A lista da direita é a primeira lançada, a segunda e mais recente avaliação é a da esquerda.

Vale lembrar que os nodes da EOS congelaram os fundos de 27 contas, o que por muitos é visto como censura e vai contra os princípios listados na constituição da criptomoeda. O relatório foi lançado antes da censura acontecer, é interessante notar que uma criptomoeda com censura é bem vista pelo governo chinês.

EOS – O que é? Onde comprar?

China e manipulação de mercado

Não é apenas o governo chinês que gosta de rankear criptomoedas, em um relatório controverso, a empresa de avaliação Weiss publicou sua lista. Nela o Bitcoin foi rankeado negativamente com a nota C+.

Depois de muitas críticas a Weiss lançou um novo ranking, dessa vez um pouco mais sóbrio com o Bitcoin rankeado em B- (mesma avaliação do Ethereum).

O governo chinês está de olho no mercado de criptomoedas. No vídeo abaixo o comentarista especializado em China fala sobre a possível manipulação do Bitcoin pelo governo de Pequim.

Pequim está preocupada com a fuga de capitais dos recentes milionários, tendo apertado o cerco não apenas ao Bitcoin, mas também a jogos e outros meios de lavagem ou fuga de valores.

Acha que o governo chinês está listando corretamente as criptomoedas? Assine nossa newsletter e receba os rankings mais importantes.

Fonte: Coindesk