Um novo relatório da Bitwise e da ETF Trends analisou o que os consultores financeiros pensam sobre o Bitcoin e outras criptomoedas.

Notavelmente, o relatório indica que aproximadamente 9% dos consultores de investimento registrados (RIA) atualmente alocam uma porcentagem dos fundos de clientes em criptoativos.

A taxa de investimento em criptomoedas entre RIAs independentes é superior às taxas encontradas com planejadores financeiros, representantes de cabines e revendedores de corretoras, pois estes enfrentam restrições em termos dos tipos de investimentos que podem fazer em nome de seus clientes.

Embora a alocação geral entre os consultores financeiros ainda seja baixa, em torno de 6%, o relatório indica uma potencial duplicação ou mais para esse tipo de atividade em 2020, com base nas respostas da pesquisa.

Uma variedade de razões para adicionar exposição ao Bitcoin a portfólios de clientes é fornecida na pesquisa, mas o fato de a criptomoeda não estar correlacionada com outras classes de ativos é o fator mais citado pelos consultores financeiros.

Leia mais:
++ O que é Bitcoin? Qual a cotação e como funciona o Bitcoin
++ Quase 11 milhões de bitcoins estão parados há mais de um ano
++ Bitcoin ultrapassará seu recorde histórico em 2020, prevê executivo da BitPay

Por que o Bitcoin é atraente para consultores financeiros

De acordo com o relatório da Bitwise e da ETF Trends, 54% dos consultores financeiros vêem a falta de correlação do Bitcoin com outras classes de ativos como um motivo para adicionar o BTC (ou um de seus concorrentes) às carteiras de clientes.

“Essa descoberta está alinhada à visão qualitativa da Bitwise de como a narrativa principal em torno dos aspectos de investimento da criptografia evoluiu em 2019”, acrescenta o relatório.

“De nossa perspectiva, 2019 viu um aumento significativo entre a mídia tradicional e os analistas tradicionais de Wall Street ao discutir cripto como um ‘ativo de refúgio’ e uma nova forma de ‘ouro digital’. Essa mensagem parece ter ressoado com a comunidade de consultores financeiros.”

Para o ponto de vista da Bitwise, os dados do segundo semestre de 2019 parecem mostrar que o papel do Bitcoin como ouro digital está indo da teoria à realidade.

Além disso, um executivo do setor apontou para essa visão crescente do Bitcoin como um ouro digital ao fazer uma previsão de preço de US$ 50.000 para o Bitcoin em 2020.

Dito isto, apenas 9% dos consultores financeiros pesquisados ​​no relatório veem o “hedge da inflação” como um motivo para adicionar criptoativos a um portfólio.

O relatório afirma que parte do motivo dessa taxa de resposta positiva aparentemente baixa pode ser devido à falta de preocupação com a inflação hoje.

Notavelmente, a porcentagem de consultores financeiros que disseram que escolheriam commodities como a área da qual extrair capital para um potencial investimento em cripto dobrou em relação à versão de 2019 da mesma pesquisa, o que poderia ser visto como outra indicação do crescente sentimento em torno do Bitcoin como um ouro digital.

Além do potencial de retorno não correlacionado com outros ativos, 30% dos consultores financeiros disseram que os altos retornos potenciais encontrados no mercado de cripto tornaram a exposição a essa classe de ativos atraente para as carteiras de clientes.

Além disso, 26% dos consultores financeiros vêem a demanda dos clientes como uma razão da atratividade do Bitcoin, com outros 23% gostando do fato de que é simplesmente algo novo para oferecer a seus clientes.

Potenciais problemas com alocações em criptomoeda

Obviamente, ainda existem vários problemas com a alocação de fundos de clientes no mercado de cripto, e é por isso que a grande maioria dos consultores financeiros ainda não se sente à vontade com essa proposta.

Em termos de obstáculos específicos ao fazer um investimento em criptomoedas com fundos de clientes, os consultores financeiros incluídos na pesquisa apontaram para estas questões:

  • 56% Preocupações regulatórias
  • 43% volátil demais
  • 41% Não faço ideia de como avaliar criptomoedas
  • 39% Falta de veículos de investimento facilmente acessíveis, como ETFs ou fundos mútuos
  • 34% Preocupações com custódia e medo de hacks
  • 31% Falta de entendimento

Segundo o relatório, o alto grau de preocupação com a regulamentação pode estar relacionado ao nível de análise do projeto Libra do Facebook recebido de reguladores e legisladores após o anúncio.

Além disso, o primeiro fundo de Bitcoin aprovado por lei foi anunciado recentemente, o que levou o CEO da ETF Trends, Tom Lydon, a afirmar que há 60% de chance de aprovação de um ETF Bitcoin em 2020.

Artigo escrito por Kyle Torpey.