A Valve anunciou no final do mês de outubro que não mais permitiria o comércio das chaves e caixas de loot dentro do seu marketplace. O motivo? Lavagem de dinheiro.

++ A era dos games no blockchain

++Por que a Bitstamp foi comprada por uma empresa de games?

Conforme dito pela própria Valve, “quase todas as chaves compradas que acabaram sendo negociadas ou vendidas no mercado, acreditamos que sejam fraudulentas”. Os criminosos exploravam o sistema de caixas com recompensas, as famosas loot boxes.

Nas loot boxes os gamers conseguem itens cosméticos para usar no jogo. Tanto as loot boxes, quanto as chaves para abri-las poderiam ser negociadas no mercado da Steam.

Os criminosos compravam milhares de caixas e chaves e depois vendiam no mercado da Steam, tentando dessa forma lavar dinheiro.

O CS:GO é um game de tiro em primeira pessoa, no qual dois times competem para atingir objetivos ou eliminar o outro.  Só no mês passado o game contou com 18 milhões de jogadores únicos.

Não foram revelados os valores envolvidos, mas para ter uma operação tão massiva a ponto de “quase todas as chaves compradas” terem ido ao comércio por atores fraudulentos, podemos imaginar as dimensões da operação.

Preço estável no CS:GO e blockchain

A principal atração para o uso de itens no CS:GO para lavagem de dinheiro é sua estabilidade no preço. Os itens pouco variam de preço, dando aos bandidos uma certa segurança para a operação.

Não é a primeira vez que a Valve enfrenta problemas com loot boxes, no passado ela limitou a venda de caixas pois elas estavam sendo usadas para operações de apostas.

Com o uso de blockchain para armazenar itens de games, esse tipo de operação pode ser mais facilmente identificada e neutralizada. A indústria de games está passando por uma enorme modificação, hoje, ela já é maior que a indústria de filmes e aos poucos está explorando o uso de blockchain.

Siga o Cointimes nas redes sociais para saber mais sobre games e blockchain – TwitterFacebook Instagram.