• Especialistas no mercado de mineração de bitcoin e criptomoedas analisaram a situação dos mineradores russos dentro do cenário de guerra.
  • “A queda do rublo tornou a mineração mais lucrativa na Rússia por enquanto, mas os custos de peças e envio devem aumentar.” – disse Eliza Gkritsi.

A mineração na Rússia é muito forte

A Rússia é o terceiro maior país minerador de BTC, responsável por cerca de 11% de toda a hashrate na rede do Bitcoin, de acordo com este mapa de mineração. O que aumenta a importância de eventos que possam trazer efeitos positivos ou negativos para a indústria no país.

mapa de mineração do bitcoin com a rússia tendo 11% de toda a hashrate gerada.

Saiba mais: 1 bilhão de reais em máquinas de minerar bitcoin são apreendidas

Em um cenário de guerra e sanções econômicas globais, muitos olhos de entusiastas de criptomoedas estão direcionados para o território russo, atentos ao que pode acontecer nos próximos dias, meses ou até anos, como consequência de todos estes eventos.

A repórter, analista e especialista em mineração cripto do Coindesk, Eliza Gkritsi, fez uma análise sobre o que podemos esperar.

Cenário positivo que pode ficar ruim em breve

De acordo com Sergey Arestov, cofundador da empresa russa de mineração BitCluster, o cenário ainda é muito positivo para os mineradores russos devido, principalmente, à queda do valor do Rublo como consequência da guerra e das sanções.

Com a moeda local (RUB) valendo menos, o Bitcoin passa a ter mais valor na região para os mineradores que vivem com base no rublo russo. Então ao encontrar um novo bloco e receber as recompensas do protocolo, seu lucro é potencializado em um primeiro momento, favorecendo o retorno do investimento inicial, feito com uma moeda mais forte.

Além disso, Sergey também apontou para o fornecimento de energia e materiais de construção relativamente baratos na Rússia. O que favorece a diminuição de custos fixos e também colabora para o aumento do lucro com a atividade.

Mas nem tudo são flores na indústria de mineração.

Previsões de problemas futuros

“Definitivamente, não veremos nenhum investimento em novos sites ou hospedagem para mineração de bitcoin na região de qualquer pessoa fora da Rússia”, disse Rusinovich. Isso mais uma vez levanta preocupação com a centralização da rede e a gama cada vez menor de opções para diversificação geográfica do poder de computação, disse ele.

Um outro problema que aguarda no horizonte é relacionado às cadeias de fornecimento (supply chain) interrompidas pelas sanções econômicas contra o governo russo e, em alguns casos, contra toda a população.

Diversos governos e também empresas privadas estão interrompendo acordos comerciais e fornecimento de produtos e serviços gerais para a Rússia, com uma intenção punitiva, utilizando a economia como arma de guerra para tentar acelerar o término dos conflitos decorrentes da invasão na Ucrânia.

Com isso, é muito provável que o preço de equipamentos necessários para minerar bitcoin e outras criptomoedas sofram grandes aumentos, devido à dificuldade de acesso e escassez de oferta que deve acontecer no país.

Aqueles que ficam na Rússia “podem enfrentar falta de peças de reposição e dificuldades logísticas” por causa das sanções, disse Arestov.

“(…) mas chips especializados para mineração de criptomoedas, conhecidos como circuitos integrados específicos de aplicativos (ASICs), ainda podem ser comprados da China”, rebateu David Carlisle – diretor de política e assuntos regulatórios da empresa de análise de blockchain Elliptic. Os principais fabricantes de ASICs permanecem na China, que não impôs sanções à Rússia.

Rusinovich previu um aumento nas tarifas para embarques aéreos de hardware, agora que as companhias aéreas russas proibiram as companhias aéreas europeias de voar para a Rússia.

Como estes problemas na mineração podem impactar o mercado?

Somando estes fatores econômicos, mais algumas incertezas regulatórias sobre o rumo que o governo irá tomar em relação à guerra e também às criptomoedas, a rede pode sofrer impacto negativo no curto e médio prazo.

gráfico com queda da hashrate na rede do bitcoin nos últimos 5 dias.
Fonte: https://ycharts.com/indicators/bitcoin_network_hash_rate

É possível vermos uma grande retirada de investimentos de mineração na Rússia, causando estagnação ou queda da participação de hashrate no país. Com equipamentos mais caros, a venda dos BTCs minerados sofre uma maior pressão, para custos gerais.

Caso o cenário realmente se torne insustentável, uma fuga dos mineradores para outros países mais amigáveis também resultaria em queda na descentralização do consenso da rede, concentrando a hashrate em outras regiões.

De qualquer forma o Bitcoin vem se mostrando resiliente à efeitos negativos locais contra a mineração.

O que você acha? Deixe sua opinião nos comentários e acompanhe as notícias do mercado cripto nas redes sociais | Telegram | Twitter | Facebook | Instagram | do Cointimes.

Leia mais:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br