O Cazaquistão confiscou cerca de R$1 bilhão em máquinas de minerar bitcoin, depois de meses em que o governo Cazaque vem travando uma guerra contra os mineradores, devido à competição no uso de recursos energéticos.

Infraestrutura energética ultrapassada e êxodo de mineradores

A infraestrutura energética do Cazaquistão é ultrapassada, datando da era soviética e sua capacidade já é naturalmente limitada para suprir as necessidades do povo Cazaque, o que foi agravado com um êxodo de mineradores de BTC vindos da China, após a proibição.

Na época, o governo do país vizinho foi bem receptivo com a entrada das máquinas de minerar bitcoin e a região passou a ser responsável por cerca de 18% de toda a hashrate gerada na rede.

Mapa que mostra a porcentagem de hashrate em cada região, com destaque para o cazaquistão com 18% da rede em julho de 2021.
Fonte: https://ccaf.io/cbeci/mining_map

Segundo o site Rest of World, as usinas de energia também podem reservar capacidades de geração para suas próprias necessidades a preços reduzidos – que podem ir para empresas em acordos privados favoráveis ​​e reduzir a quantidade disponível para distribuição.

Toda essa infraestrutura pareceu atrativa para a atividade da mineração, mas com o tempo os problemas foram sendo revelados e agravados com questões macroambientais.

Saiba mais: Corte de internet no Cazaquistão pode afetar mineração do Bitcoin

Mineradores de Bitcoin sob ataque

Sofrendo pressão econômica e popular, o Cazaquistão passou a realizar ataques direcionados contra as fazendas de mineradores através de cortes de energia, regulamentações mais duras, controle e fiscalização das empresas envolvidas com o negócio.

A execução da atividade foi sendo dificultada e muitas fazendas chegaram até mesmo a abandonar máquinas de minerar bitcoin, devido ao alto custo de transporte e inviabilidade de seguir minerando.

Durante os ataques, muitas empresas começaram a fornecer sobra energética para os mineradores de bitcoin de forma ilegal.

Cazaquistão fecha mais de 100 fazendas e apreende máquinas de minerar bitcoin

No evento mais recente, o Cazaquistão agiu de forma mais direta contra fazendas de mineração, registrando o fechamento de 106 empresas especializadas na atividade.

Das 106, 55 foram fechadas de forma “voluntária” por seus donos – segundo fontes oficiais – e 51 de forma compulsória.

De acordo com o anúncio do governo, foram apreendidas 67.000 máquinas de minerar bitcoin avaliadas em cerca de 100 bilhões de tenges (aproximadamente 1 bilhão de reais).

Até o momento, a rede não sofreu nenhum impacto em atraso nas transações ou geração de hashrate. Algum efeito negativo é esperado nos próximos dias.

Além disso, a indústria de mineração sofreu uma grande perda de capital e isso poderia impactar o preço de alguma forma, já que estes empresários deverão precisar levantar capital líquido seja para comprar novas máquinas de minerar BTC; seja para lidarem com os processos jurídicos decorrentes do fechamento; ou para capitalização pessoal.

A ameaça regulatória e limitação geográfica também impactam na descentralização da rede, trazendo mais centralização dentro deste subsistema e limitando o número de regiões onde é possível minerar bitcoin.

Saiba mais: Entenda o que é descentralização de uma vez por todas

Leia mais:

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br