Segundo post da Coindesk, o grupo de estudos sobre criptomoedas do MIT, DCI (termo em inglês para “Iniciativa Moeda Digital”), criou smart contracts usando a rede escalável do Bitcoin, a Lightning Network. Isso faz surgir a dúvida, é o fim do Ethereum?

Por Dentro da Lightning Network

Em uma rara amostra das reais capacidades do Bitcoin utilizando sidechains, o grupo de estudos do MIT criou uma verdadeira maravilha utilizando a tecnologia da Lightning Network. A equipe que começou em 2015, testou um sistema no qual utilizando eventos externos ao blockchain algumas transações possam executar automaticamente. Isso só é possível utilizando os chamados oracles, entidades de confiança que alimentam o sistema com informações relevantes, no teste eles utilizaram a cotação do dólar para programar o pagamento em bitcoins. Vamos deixar isso mais claro.

Por exemplo, se Bob decide pagar para Alice 10 dólares, qual seja o preço em Satoshis (unidades de bitcoin) dentro de 3 dias, o pagamento será feito de acordo com a cotação passada pelo oracle. Atualmente isso é impossível de ser feito sem um controle central.

Alin S. Dragos, um dos pesquisadores envoltos no projeto disse a Coindesk:

“Nós escolhemos dados que pensamos que seriam legais, dólares, mas pode ser qualquer dado que você quiser, tempo, ou uma ação.”

O mais interessante do sistema é que o Oracle não tem como saber quem está usando suas informações, aumentando os casos de uso e diminuindo possíveis interesses externos. Como todos os contratos são executados na Lightning Network, o sistema acaba escalando muito bem.

Atualmente a tecnologia do Ethereum é reconhecida mundialmente pela sua capacidade de executar smart contracts, entretanto  o blockchain não escala bem e muitas vezes a rede fica congestionada. A Lightning poderá matar o Ethereum?

Bom, é claro que esta notícia é extremamente positiva  para o futuro do bitcoin. Vale ressaltar uma frase de Dragos sobre a diferença entre a linguagem script do Bitcoin se comparada com a do Ethereum:

“Quando o pessoal pensa em contratos inteligents, eles pensam no ethereum. A linguagem de script deles é muito mais rica”

Não podemos esquecer que o Ethereum tem também projetos de escalabilidade, é o caso da Raiden Network e da Enigma, ambos permitindo milhões de transações por segundo.

Parece que ainda não é o fim para o Ethereum, os dois projetos tem espaço no meio de criptomoedas. Porém, a cada dia vemos novas utilidades para a moeda de Satoshi Nakamoto.

Quem é Satoshi Nakamoto?