E se a gente te falar “Irã criou uma criptomoeda lastreado no Ouro”, você acreditaria? Parece que isso aconteceu.

A República Islâmica do Irã supostamente criou um criptomoeda lastreado em ouro chamada “PayMon” – a palavra persa para aliança – com quatro bancos locais e a Ghoghnoos, que foi um movimento feito após as sanções internacionais.

De acordo com o Financial Tribune , o Irã criou a criptomoeda lastreado pelo ouro em cooperação com o Banco Parsiano, o Banco Pasargad, o Bank Melli Iran e o Bank Mellat.

https://cointimes.com.br/startup-lanca-notas-de-bitcoin-cash/

A agência de notícias citou Valiollah Fatemi, diretor do banco Ghoghnoos, que revelou que o PayMon foi criado para ser usado para simbolizar os ativos e propriedades das instituições financeiras.

Gold the backbone

Iran Unveils Gold-Backed Cryptocurrencyhttps://t.co/Vf8lLGmHgm— Bitcoin, Gold, Silver & Geopolitics (@Super_Crypto) 2 de fevereiro de 2019

De acordo com Ghoghnoos, um total de um bilhão de tokens da PayMon devem ser lançados inicialmente. A medida vem meses após as sanções internacionais terem começado a prejudicar a economia do país, forçando as redes de pagamento, como a SWIFT, a oferecer serviços às suas instituições.

Isso impediu que os cidadãos iranianos conduzissem negócios com o resto do mundo e viu o governo do país planejar uma criptomoeda nacional que, como relatado, iria para os bancos comerciais em uma primeira fase.

Embora pouco se saiba sobre a criptomoeda, alguns acreditam que ela foi desenvolvida para o banco central iraniano pela Informatics Services Corporation (ISC).

Em uma segunda fase, ela deve ser emitida apenas pelo banco central do Irã – e chegaria nos cidadãos do país.

A criptomoeda lastreado em ouro, PayMon, foi lançada pouco depois de o banco central ter emitido uma regulamentação preliminar sobre criptomoedas .

Eles reservavam uma proibição que impedia os bancos locais de lidar com criptomoedas , ao mesmo tempo em que aliviava algumas das regras que o país tinha em relação à propriedade desses ativos digitais.

Embora criptos como o bitcoin ainda não possam ser usadas ​​como um método de pagamento no país e haja limites para a quantidade que podem ser mantidas, as ICOs e as carteiras de criptomoedas agora são permitidas no país.

Texto traduzido e adaptado da Cryptoglobe.