O mercado das criptomoedas – Post de Tasso Lago, CEO da Financial Move.

Sem dúvida 2017 foi o grande boom das criptomoedas.

Muitas pessoas ouviram falar das mais variadas formas, em qualquer lugar se ouviu falar de Bitcoin com isso, muitas pessoas compraram sem estudar o que estavam comprando formando o que chamamos de uma “bull run” , corrida dos touros, reforçada por um capital leigo, ( o que geralmente sofre as perdas consideráveis do mercado).

Bull Run, nada mais é que um movimento forte, de valorização de um ativo, que em determinado momento ao longo de 2017 se tornou eufórico demais e, consequentemente, tivemos um ano de forte correção e os preços caíram aproximadamente 80% de sua máxima.

O mercado está em crise?

Escutamos o tempo todo a mídia no geral falar que “a bolha estourou”, ou que o mercado de criptomoedas passam por forte crise, mas será que isso é verdade?

Para buscarmos entender melhor o mercado, devemos entender e estudar o meio, olhar a base histórica e estudar o preço e a tecnologia. Ao olharmos as mínimas históricas de cada ano, percebemos o seguinte comportamento dos preços.

Menores Valores BTC por Ano

Como podemos perceber, há uma clara tendência de valorização do ativo e, toda esse alarme devido a queda dos preços não faz sentido se olharmos o Bitcoin em toda sua história.

O Bitcoin acabou sendo a porta de entrada para muitos investidores iniciantes que, aprenderam da pior forma que o Mercado Financeiro é cruel com quem não sabe o que está fazendo.

Analisar o preço, entender a dinâmica do mercado e quais são os fatores que o afetam é fundamental, como se diz no meio, o Mercado traz o dinheiro dos impacientes para os pacientes. E, o principal ativo nesse meio é a informação e o conhecimento.

Como analisar os preços?

Há uma forte briga no mercado entre a Escola de Análise Fundamentalista e a Análise Grafista, temos experiências e estudos nas duas vertentes e iremos clarificar o cenário e como pensar.

A Análise Fundamentalista é muito utilizada para ações, para realizar o Valuation de empresas, e deve ser utilizada para ações de longo prazo. Quando encontramos distorções nos fundamentos de uma empresa e sua precificação no mercado de ações, podemos recomendar a compra do ativo, mas sua valorização não será dada do dia pra noite, são movimentos lentos onde o “Mercado Eficiente” busca corrigir os “erros” encontrados.

Porém, como realizar uma Análise Fundamentalista em um ativo que não gera renda? O próprio Damodaran (Referência em Valuation) abordou o mercado e disse que não seria possível realizar um Valuation de um ativo como o Bitcoin, pelas métricas já conhecidas.

Ao estudarmos uma empresa, é lógico entendermos o impacto de uma mudança na política de juros, ou do câmbio, ou no preço de commodities, porém, como utilizar um racional parecido para criptomoedas? Não é possível. Porém é possível estudarmos o mercado com certa racionalidade e criticidade adquirida com a base fundamentalista para entender as falhas e as possíveis oportunidades do mercado.

Uma poderosa ferramenta para ativos voláteis, é a Análise Gráfica, onde busca-se entender o comportamento do preço através de princípios matemáticos e estatísticos, que são traduzidos em figuras, linhas, faixas de preços e padrões.

A Análise Gráfica busca traduzir o comportamento de todos os players do mercado, maximizando a probabilidade de acerto e minimizando os riscos. É valido salientar que não é uma previsão do futuro, porém podemos acertar o comportamento do preço através de uma análise robusta com base em dados históricos e padrões de comportamento.

Por tanto, com nossa experiência tanto de Bolsa tradicional quanto em criptoativos, a Análise Gráfica é essencial para prever um mercado tão rápido e volátil, sempre associada com a fundamentalista, para termos uma noção do futuro.

É um bom momento para comprar Bitcoin?

Acreditamos estar na fase final da correção do Preço do Bitcoin, já estamos há 12 meses em um mercado de queda (“bear market”), o que é um tempo considerável.

Segundo Martin J Pring, um bear market pode durar de 9 a 24 meses. Se estudarmos os preços poderemos ver sinais de fraqueza da força vendedora (responsável por baixar os preços), detalharemos abaixo.

Lembramos que isso não é uma recomendação de investimento, o material tem intuito educativo e de promover maior conhecimento sobre o comportamento dos preços, assim como do mercado. Faça seu próprio estudo e gerencie seus riscos.

Queda no preço do bitcoin, gráfico

O gráfico acima destaca a forte tendência de queda que presenciamos desde 2018.

Um recuo de aproximadamente 80% dos preços fez muita gente perder boa parte das economias até o momento, porém existem muitos “Holders“, pessoas que seguraram suas compras mesmo que no prejuízo, que na prática, embora possam estar no prejuízo hoje, acreditam na retomada do mercado. Ao se tornarem Holders, temos mais uma restrição de oferta, pois retira-se o ativo do mercado, positivo para o aumento dos preços.

A seguir, descreveremos a situação atual dos preços e nossa perspectiva de movimentos futuros.

Gráfico semanal mostrando a queda do bitcoin
Gráfico semanal, queda do bitcoin

Gráfico Semanal: No gráfico de 1 Semana temos uma perspectiva com mais informações sobre a tendência do preço. Podemos ver que a força vendedora deu uma recuada e nosso MACD (Indicador) está reforçando essa ideia com o decréscimo do volume vendedor. O RSI (indicador) também está em uma zona onde indica que a força vendedora não está mais com muito espaço para forçar o preço para uma nova queda.

Destacamos os suportes fundamentais nessa figura, que seriam nossa zona de compra. Nas seguintes zonas: 3200-3400; 2800; 1900 USD. Essas zonas devem ser consideradas como possíveis zonas de compra para investidores de longo prazo.

Gráfico do preço do bitcoin, análise da queda
Gráfico de 1 dia

Gráfico de 1 Dia: No momento, estamos passando por uma zona de indefinição, estamos dentro de uma figura grafista chamada “triângulo simétrico” que nos traduz indefinição do mercado. Estamos nesse cenário há dias e não há como prever uma nova tendência. Deveremos esperar que o preço se desenvolva e nos emita novos sinais.

Gráfico de 4 horas  preço do bitcoin em queda
Gráfico de 4 horas

No gráfico de 4 Horas: Podemos ter um olhar mais de perto, onde os indicadores nos emitem uma leve divergência de alta (padrão gráfico de alta nos preços). Porém sem muita confiança, uma vez que estamos abaixo de nossas médias móveis de 50,100 e 200 períodos.

Resumo da Análise: Ainda não temos certezas de uma reversão na tendência que, por enquanto é de queda, investidores que desejam acumular Bitcoins devem pensar em entrar nas zonas de suportes destacadas. Porém, para uma entrada mais segura, deve-se esperar o rompimento da tendência de baixa, o que só ocorreria após passarmos dos 6k USD. A estratégia de compras parciais pode ser levada em consideração, na zona dos suportes: 3200-3400; 2800; 1900 USD.

Lembramos que esse é um mercado de altíssimo risco e, portanto, entenda que deve alocar somente um capital que não lhe fará falta no curto prazo, entendendo todos os riscos do mercado, que consideramos ser maior que o mercado de ações.

Perspectivas de Longo Prazo

Muito se fala em relação ao futuro do Bitcoin, se vai vingar ou não. Porém, é essa incerteza que gira em torno dos criptoativos, que os tornam interessantes como uma modalidade de investimento de alto risco.

O ano de 2019, será o ano de adoção e desenvolvimento da tecnologia, estamos vendo parcerias entre empresas e as criptomoedas estão se desenvolvendo fortemente, lançando sua própria rede e eliminando bugs.

Claro que, como toda tecnologia disruptiva a muita incerteza e muitos erros, pois estão navegando em um mar nunca antes desbravado. Porém, a velocidade que as coisas acontecem hoje em dia é assustadora, a Lightning Network, que busca solucionar os problemas de escalabilidade e taxas do Bitcoin cresce em velocidade exponencial e dobra de capacidade com uma facilidade surpreendente.

Cada vez mais desenvolvedores se juntam aos projetos e os roadmaps (cronograma dos projetos) estão sendo cumpridos.

O Bitcoin movimentou ao longo de 2018 2.2 trilhões de dólares, se estabelecendo-se como uma moeda global, a frente do peso argentino e de outras moedas nacionais.

A Ripple está tomando mercado da SWIFT, que até então detinha praticamente todo business de remessas internacionais, a Ripple tem parcerias com inúmeros grandes bancos, inclusive Santander para remessas internacionais e consegue entregar dinheiro instantaneamente com taxas na ordem de centavos de dólares.

Temos inúmeros outros motivos e artigos para debater sobre o meio, porém nossa opinião é positiva referente ao mercado. Claro que deve ser feito uma gestão de risco e alocar somente o que se pode perder, uma vez que a incerteza é grande, porém, pela relação clássica risco/retorno, esperamos um retorno expressivo.

Você gostou desse conteúdo? Nós temos muito mais! Siga e compartilhe a página do Cointimes para se manter atualizado com os conteúdos mais relevantes. Estamos em todas as mídias sociais também: FacebookTwitterInstagram.