Breaking News  
Avaliação de Criptomoedas: XRP Ripple Altcoins

Avaliação de Criptomoedas: XRP Ripple

A criptomoeda dos bancos? Entenda mais sobre XRP.

Neto Guaraci
Neto Guaraci

XRP, conhecida como Ripple, é um dos vários produtos da empresa Ripple Labs .Inc. Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre a criptomoeda, qual a história dela, casos de uso e para entendê-la precisaremos entender os produtos da Ripple Labs.

Vamos passar por dúvidas quanto a descentralização da moeda, o sistema de consenso e qual a utilidade dela nos produtos da Ripple Labs.

História

Para entendermos o papel da  XRP, precisamos saber a história da companhia que desenvolveu o protocolo e as ideias dela.

A empresa Ripple como vemos hoje nasceu em 2012, inspirada pelo Bitcoin e pela RipplePay. Esta última empresa foi desenvolvida em 2004 com a missão de facilitar o processo de liquidação e criação de assets digitais.

Chris Larsen, co-fundador da Ripple, explica um pouco mais sobre esta história interessante.

Perceba que desde o inicio a Ripple foi sempre focada em soluções para os negócios e bancos. Esse modelo se mantém até os dias de hoje

Tecnologias

A empresa Ripple criou vários produtos desde a sua fundação, todos eles fazem parte de um ambiente maior, a chamada RippleNetwork (o conjunto de produtos da empresa). A criptomoeda XRP está inserida e é parte importante no ambiente de produtos, neste tópico vamos ver os principais produtos e como a XRP age em cada um deles.

São 4 os produtos apresentados pela Ripple, o primeiro é o  xCurrent, temos também o xRapid, xVia e por fim o XRP. Todas essas soluções se resumem a RippleNet.

xCurrent

O sistema xCurrent é uma ledger(um tipo de blockchain) chamada de Interledger, ele não opera com a mesma tecnologia da XRP.

Interledger foi criada pela Ripple Labs, porém não pertence a ela, pois ela está sendo usada pelo W3C para o desenvolvimento de uma solução aberta para pagamentos entre diversas moedas.

Ser interoperável  é o objetivo do sistema, por isso, com ele é possível trocar diversos ativos, de dólares, bitcoins até mesmo XRP. Apesar do sistema também poder utilizar XRP, não é uma condição necessária para seu funcionamento.

No vídeo abaixo vemos como o xCurrent funciona passo a passo.

xRapid

O xRapid é simplesmente o uso da criptomoeda XRP no sistema xCurrent, ganhando um novo nome.

A solução xRapid permite que você liquide os pares XRP/USD, XRP/JPY e outras moedas nacionais rapidamente. Incluindo moedas digitais, os bancos conseguem eliminar algumas dificuldades burocráticas de seus sistemas (contas vostro e nostros para os mais chegados ao sistema bancário).

xRapid funcionamento com XRP

Diversas empresas estão interessadas e fazendo testes com a rede, dentre elas Moneygram e segundo tweet de janeiro deste ano, três das top 5 empresas que mais transferem dinheiro no mundo estão fazendo testes pilotos.

xVia

xVia é a interface de pagamentos de toda a rede Ripple, ela pode trabalhar tanto com a XRP quanto com outras criptomoedas e ativos digitais.

Ela é como o WhatsApp, por fora é apenas um aplicativo de mensagem, internamente todo o trabalho de criptografia, roteamento e envio de dados são feitos em “segredo”.  Empresas como MoneyMatch, UniPay, RationalFX e Exchange4Free já usam a solução.

xvia funcionamento ripple

O xVia te dá uma API aberta para que você construa sua infraestrutura de pagamentos utilizando a RippleNet.

XRP a criptomoeda da Ripple Labs

O produto mais conhecido pela comunidade é a criptomoeda XRP, ela foi criada para facilitar a liquidação de ativos dentro do sistema Ripple. A ledger que roda XRP é extremamente eficiente, se compararmos com o bitcoin vemos uma enorme diferença de capacidade.

transações por segundo (TPS) ripple, bitcoin e ethereum

Como pode ser visto acima, a rede Ripple consegue atingir cerca 1.500 transações por segundo (tps), o bitcoin por sua vez aguenta apenas de 3 a 6 tps quando colocado em stress e em um ambiente controlado.

XRP é centralizado?

Para atingir tal nível de eficiência foi necessário abrir mão de descentralização, resiliência e diversidade. O blockchain da XRP, chamado de XRP Ledger Consensus Protocol (XRP LCP), funciona de uma maneira diferente daquela utilizada pelo bitcoin.

Os dois “blockchains” trabalham para solucionar o mesmo problema, evitar gasto duplo e que agentes maliciosos possam modificar ou paralisar o sistema. No caso do XRP LCP isso é feito por meio de nodes escolhidos, a chamada Unique Node List, esses nodes votam para adicionar as transações no “blockchain”.

Além dos nodes validadores, há também os chamados “tracking nodes”, eles ajudam na resiliência da rede, guardam o blockchain, dão acesso e transmitem as informações na rede. Atualmente há um total de 50 nodes funcionais e qualquer pessoa com recursos pode se tornar um tracking node.

Para se tornar um full node é necessário um servidor com pelo menos 8 gigas de ram e mais de 12 teras de armazenamento, com pelo menos uma expansão de 8 gigas diários. Olhando esses dados parece que escalar outros blockchains “on chain”  não é a melhor solução quando falamos em descentralização (veja o post sobre Bitcoin Cash para entender mais).

Avaliação de criptomoedas: Bitcoin Cash

A quantidade de nodes na rede é pequena se comparada a outras criptomoedas, entretanto os desenvolvedores da XRP LCP já imaginam a criação de outro protocolo, dessa vez mais descentralizado mas mantendo o mesmo nível de tps.

Emissão dos tokens XRP

Diferente do Bitcoin, no qual os tokens são criados como recompensas e as taxas são pagas aos mineradores, XRP teve todas moedas criadas no seu lançamento.

São 100 bilhões de moedas, criadas em 2013 e distribuídas de uma forma bem controversa. 20 bilhões foram garantidos aos fundadores do projeto e 80% do total está nas mãos da empresa.

Para evitar a ideia de que a Ripple Labs poderia influenciar diretamente nos preços de mercado da XRP, em maio de 2016, eles criaram uma escrow criptográfica que envia para o mercado 1 bilhão de XRP mensalmente. O seguinte gráfico mostra a distribuição desses fundos ao longo do tempo.

gráfico inflação Ripple XRP

O processo de distribuição é explicado no blog da Ripple.

Recomendações

A rede Ripple é uma grande candidata a substituir o sistema bancário tradicional, onde métodos arcaicos como o sistema SWIFT reinam, apesar das altas taxas e tempos de respostas medievais.

Agora, não confunda a rede Ripple com a moeda XRP, apesar de serem produtos entrelaçados eles são independentes.

Há muitas vantagens de se utilizar a XRP, baixas taxas, tps alto e futuramente uma rede mais descentralizada e resiliente são as principais. Entretanto, os grandes bancos estão de olho no xCurrent, se para isso será necessário utilizar XRP pouco importa para eles.

Outro ponto preocupante é a centralização tanto dos tokens, quanto do sistema em si, apesar da Ripple Labs ter criado algumas soluções ainda não é o suficiente para que o sistema seja minimamente autônomo da empresa.

Mesmo com os pontos fracos, é válido destacar que a ideia principal de modernizar o sistema bancário está sendo bem executada. As empresas já citadas aqui, bancos como Santander, enormes corporações como a Microsoft e organizações não governamentais como a W3C testam esse novo ambiente  e esperam enormes ganhos quando ele for implementado.

Por fim, comprar ou não? Isso depende da sua filosofia e visão de mercado, vale a pena investir em um ativo que não é necessário mas que pode levar rapidez para o ecossistema? No longo prazo, você confia no sistema deles? Essas são perguntas essenciais antes de fazer qualquer investimento.

5 erros que você nunca deve cometer antes de investir dinheiro

Neto Guaraci
Neto Guaraci

Sou estudante de Gestão de Negócios e Inovação na Fatec-Sebrae. Trabalho na Foxbit, ajudo na criação de conteúdo. Amo falar sobre criptomoedas, liberdade financeira e empreendedorismo. Se você também gosta, entre em contato. :)

O Cointimes utiliza cookies com o objetivo de melhorar sua experiência em nossa página web e adaptar o conteúdo para torná-lo mais útil e acessível. Para mais informações, consulte a nossa política de cookies.