Glauber, o brasileiro que foi parar no The New York Times depois de ficar milionário com Dogecoin, perdeu esse título por 24 horas com a queda drástica da criptomoeda na terça-feira (23).

De acordo com o CoinGoLive, a moeda despencou 32,01% em 7 dias, manteve-se hoje cotada a US$ 0,21 e acumula 28,5 bilhões em capitalização de mercado. Mas esse detalhe não abala a confiança de Glauber, que só vai vender 10% da sua fortuna em DOGE ano que vem. 

História do Glauber, de US$ 220 mil a US$ 1 milhão

Glauber Contessoto, 33 anos, usou US$ 220 mil para comprar pouco mais de 5 milhões de Dogecoin em 5 de fevereiro, valendo US$ 0,045. Em apenas dois meses a moeda meme decolou e no dia 15 de abril, ele virou capa do caderno de negócios do jornal The New York Times por ter se tornado o primeiro milionário de DOGE.

O brasileiro que mora em Los Angeles e trabalha como produtor musical, começou a investir em 2019 quando descobriu o aplicativo Robinhood. Na época, ele conseguiu fazer o dinheiro guardado dobrar investindo em ações de companhias como Tesla e Uber.

As criptomoedas só foram entrar no radar do Glauber no início de 2021. Depois do boom das ações da GameStop, ele criou uma conta no Reddit para descobrir novos investimentos e foi assim que ele chegou na Dogecoin.

Quando a Dogecoin caiu no dia 22 de abril, Contessoto deixou de ser milionário por um dia. De qualquer forma, ele continuou firme e quando a criptomoeda bateu a máxima histórica de US$ 0,73 em dia 8 de maio, a sua fortuna chegou a US$ 2,9 milhões.

Ele não converteu nenhuma Dogecoin em dólar até o momento, e só vai tirar 10% da fortuna daqui um ano. 

Para que o brasileiro recupere o seu status de milionário em dólares a Dogecoin precisará alcançar novamente US$ 0,25.

A fé que o investidor deposita na criptomoeda considerada uma shitcoin por muitos especialistas, fez ele se tornar uma pessoa admirada pela comunidade da DOGE e acumular milhares de seguidores nas redes sociais.

De acordo com o Glauber, ele só vai gastar suas Dogecoins agora se fosse para comprar um Tesla. “Quando sair a mensagem do Elon Musk falando que vai vender os carros por Dogecoin, eu vou ser o primeiro na fila”.

O boom da dogecoin

Dogecoin / US Dollar: gráfico
Fonte: Tradingview.com

Dogecoin começou o ano em $ 0,004, mas rapidamente o preço cresceu para $ 0,74, garantindo aos detentores do ativo um retorno surpreendente de 18500%.

Entretanto, como é comum no mercado cripto, em um mês, o preço despencou em mais de 70% e está sendo negociado atualmente a US$ 0,18, de acordo com o CoinGoLive

A ascensão de Dogecoin no início deste ano foi impulsionada pelo hype e suporte do bilionário e CEO da Tesla. Musk, que é considerado por muitos um líder do pensamento em tecnologia, expressou admiração pela criptomoeda meme com seus 57 milhões de seguidores.

Este foi o catalisador para a mania Dogecoin de 2021 que se seguiu. A moeda também recebeu o endosso do músico Gene Simmons, do rapper SnoopDogg e de centenas de influenciadores de mídia social, o que aumentou ainda mais sua popularidade entre os investidores novatos.

Em meio a essa tração crescente, WallStreetBets, um conhecido subreddit dedicado a investidores, aderiu ao movimento Dogecoin. Isso causou uma campanha de bombeamento de massa, um esforço colaborativo para elevar o preço da Dogecoin de maneira semelhante ao aumento orquestrado das ações da GameStop (NYSE: GME) no início deste ano.

Leia Mais:

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br