Não é de hoje que o Tether, uma stablecoin criada pela Bitfinex pareada com o dólar americano, passou a apresentar problemas. Essas adversidades são as mais variadas: suposta falta de lastro, dívida da Bitfinex, fortes variações de preço frente ao dólar americano, entre outros.

Em razão disso, o mercado de criptos pôde ver a ascensão das mais variadas stablecoins: TrueUSD, GeminiDolar, Dai, USDCoin, etc. Cada uma com sua peculiaridade, modo de funcionamento e blockchain diferente. Obviamente, nenhuma dessas stablecoins têm o mesmo volume que o Tether, que já está no mercado há pelo menos 3/4 anos.

Mas o que se pode observar, ainda que aos poucos, é a mudança do fluxo de dinheiro. Essas stablecoins mais confiáveis estão recebendo mais dinheiro, aumentando sua capitalização, entre elas, principalmente a TrueUSD, que inclusive já está listada na Foxbit, uma das maiores corretoras brasileiras.

Uma breve análise do Tether e TrueUSD

Abaixo, será feita uma breve análise do Marketcap e do preço do TrueUSD, relacionando ambos com algum problema no Tether. Veja o gráfico abaixo:


Quer ganhar Bitcoins?
A gente te ajuda nisso.
Abra uma conta grátis!


 

tether e mercado de criptos

Em Outubro de 2018, o TrueUSD recebeu um forte influxo de dinheiro, aumentando sua capitalização de mercado. Se observado o mesmo período, olhando para o gráfico do Tether, é possível ver uma grande saída de dinheiro diante de uma grande queda (que chegou a quase 7% naquela ocasião:

tether e mercado de criptos

Isso quer dizer que todo esse dinheiro foi para o TrueUSD? Obviamente não. Ele seguiu para altcoins, bitcoin e até mesmo outras stablecoins. A capitalização de mercado do Tether caiu e depois se recuperou levemente até alcançar a máxima histórica depois de imprimir mais de US$ 300 milhões em novos tokens.

A Trustnodes explica que:

“Para contornar a proibição das exchanges centralizadas, os residentes chineses compram o USDT no Over the Counter (OTC) e enviam-no apenas para exchanges, onde podem trocá-lo por moedas do IEO ou outras criptos como o bitcoin.

Esse método um tanto novo e crescente de acesso bastante conveniente ao mercado fez com que o CNY recebesse um prêmio, tornando mais caro comprar USDT do que USD ”.

Vale ressaltar que o Tether ainda é a stablecoin de maior relevância e utilizada em grande escala, ajudando a oferecer liquidez ao mercado. Mas aos poucos, bem lentamente, vai perdendo participação de mercado para stablecoins que oferecem alternativas diferentes e mais confiáveis.

Mercado de criptos e Tether: relação problemática

Um estudo da University of Texas criou um modelo estatístico provando que o preço do Bitcoin estava sendo manipulado pelo Tether, que ajudou a criação de Satoshi a chegar até a sua máxima histórica em dezembro de 2017.

Apesar de oferecer grande liquidez ao sistema, o Tether inspira pouca confiança, tendo construído uma reputação no mínimo duvidosa ao longo dos anos. Embora ainda seja a maior stablecoin, tudo indica uma descentralização, que ocasionará na perda de espaço para concorrentes.

Para diminuir as incertezas, o mercado de criptomoedas precisa se distanciar da Tether o mais rápido possível, utilizando novas stablecoins ou fazendo trades diretamente entre os pares das criptomoedas.

Isso deverá necessariamente ocorrer de forma gradual, para que esse ajuste seja natural e mercadológico. Caso contrário, um colapso do Tether agora seria um enorme problema no curto prazo. O mercado de criptos é extremamente arriscado por diversos fatores. Não é necessário correr mais um risco com uma bomba relógio, o Tether.


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das principais exchanges do Brasil e mundo, e compre Bitcoin, Ethereum e USDT pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!