Embora pareça que as autoridades de cinco províncias da China estão reprimindo os mineradores de bitcoin, ninguém tem certeza de quanto hashrate está se movendo, quais pools são afetados ou onde esses mineradores irão parar.

Uma série de pools de mineração viram as porcentagens de poder computacional cair e o hashrate geral do Bitcoin também regrediu. Por outro lado, enquanto vários pools conhecidos perderam hashrate, o poder de processamento de pools “desconhecidos” aumentou muito.

Poder de mineração do bitcoin cai

Houve relatos provenientes de autoridades em províncias como a Mongólia Interior, Xinjiang, Qinghai, Yunnan e Sichuan instruindo os mineradores de bitcoin a encerrarem suas atividades.

A comunidade de cripto, em geral, assume que uma grande quantidade de hashrate vem da China, mas a quantidade exata do poder computacional que reside no país ainda é um mistério. Os relatórios são escassos quando se trata de operações de mineração de bitcoin e os estudos mais confiáveis estão desatualizados.

A distribuição de hashrate mostra pools conhecidos que revelaram sua identidade e viram perdas de hashrate recentes. Em 2 de junho de 2021, o hashrate da rede Bitcoin estava em torno de 191 exahash por segundo (EH/s) e hoje, está pairando um pouco acima da zona de 100 EH/s. Os pools que viram as maiores perdas incluem operações de mineração como as da Okex, Binance e Huobi.

O hash misterioso (classificado como “unknown”) capturou entre 8,63% a 10% do hashrate geral do Bitcoin nesta terça-feira (22). Hoje, o hashrate “desconhecido” está na quinta maior posição entre os mineradores de bitcoin.

Curiosamente, pools como Antpool, F2pool, Viabtc, Poolin e Btc.com viram grandes flutuações em termos de hashrate, mas continuam sendo as cinco maiores mineradoras conhecidas do mundo. Antpool e Viabtc, que são considerados ‘pools chinesas’, também comandam a maior quantidade de hashrate SHA256 globalmente, de todos os blockchains que usam o algoritmo de consenso SHA256.

O retorno dos mineradores misteriosos

Desde os primeiros avisos vindos da Mongólia Interior durante a primeira semana de março de 2021, a mineração furtiva aumentou muito. Mineradores misteriosos – engajados na mineração furtiva – prevalecem desde o lançamento da rede Bitcoin. Basicamente, se alguém olhasse para a distribuição de hashrate BTC hoje, ele notaria 18 pools que revelam sua identidade.

Mas há outro pedaço de hashrate que é apelidado de “desconhecido” nos gráficos de distribuição de hashrate do BTC.com e outros sites de agregação/distribuição de hashrate. Desde que a China começou a reprimir os mineradores de bitcoin, o hashrate misterioso aumentou muito. As estatísticas mostram que os pools de mineração furtivos estão encontrando muito mais blocos desde março de 2021, e o hash desconhecido aumentou a cada mês depois disso.

O hashrate não identificado começou a aparecer com mais destaque em novembro de 2020 e em 2021. Durante o primeiro trimestre de 2021, o hashrate desconhecido aumentou. Após a repressão na China, o “stealth hash” teve um grande aumento percentual.

O hashrate desconhecido comanda cerca de 10 EH/s de poder computacional no BTC hoje e mais de 12% dos blocos de processamento de hashrate SHA256 nas redes BTC, BCH e BSV.

A comunidade de criptomoedas entende que as operações de mineração que desejam permanecer sem identificação aproveitam as redes privadas virtuais (VPNs) ou serviços de proxy para ocultar seus endereços IP.

O hash misterioso era muito prevalente em 2018 e 2019, mas diminuiu muito em 2020. Em janeiro de 2019, o hash misterioso comandava 22% do blockchain do Bitcoin e 17% da rede Bitcoin Cash. Na época, a Coin Metrics publicou um estudo sobre o misterioso fenômeno do hash.

O hashrate desconhecido quase dobrou em três dias. Embora pools de mineração conhecidas que foram identificadas tenham visto perdas percentuais de hash.

A Coin Metrics detalhou que entre meados de 2015 e meados de 2017, a maioria dos mineradores divulgou sua identidade por meio do parâmetro coinbase para se identificar com o nome de seu pool.

“No entanto, em 2018, mineiros desconhecidos aumentaram”, escreveu o Coin Metrics, e estatísticas estressadas mostraram “uma apreciação recém-descoberta pela privacidade, ou o surgimento de mineiros que têm algo a esconder”.

Mas no final de 2019 e durante a maior parte de 2020, o hashrate desconhecido era quase inexistente. Essa tendência mudou muito em 2021, e o hashrate desconhecido voltou, coincidentemente quando Pequim quer acabar com a mineração de bitcoins e o trading de criptomoedas na China. Provavelmente há um motivo para o surgimento de novos mineradores de bitcoin este ano que têm algo a esconder.

O que você acha sobre o retorno do hashrate misterioso depois que a China começou a reprimir os mineradores de bitcoin no país? Deixe-nos saber o que você pensa sobre este assunto na seção de comentários abaixo.

Leia mais:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br