A criptomoeda Monero passará por um hard fork consensual no dia 17 de outubro, porém a atualização não criará uma nova moeda. As mudanças no protocolo têm o objetivo de otimizar os processos na rede, aumentando a velocidade das transações, diminuindo o tamanho do bloco e consequentemente as taxas de transação.

Leia também: Monero é mais perigoso que Bitcoin, diz Ministério das Finanças alemão

A atualização estará disponível no dia 17 de setembro para que a rede tenha tempo de se adaptar às novas mudanças do protocolo. Segue abaixo as vantagens da atualização:

  • Aumenta a velocidade da verificação da transação em 10%
  • Aumenta a velocidade do escaneamento de carteiras
  • Reduz o tamanho das transações em 25%
  • Reduz o valor das taxas

Como me preparo para a atualização?

Haverá instruções da atualização da carteira junto com o software utilizado, mas basicamente você precisará substituir os arquivos antigos (monerod, monero-wallet-cli, monero-wallet-gui) pela nova versão.

Para carteiras Mobile como, Mymonero, Cake Wallet ou Monerujo, a atualização ocorrerá na App Sore (IOS) ou Google Play (Android). Os usuários que utilizam Paper Wallet não precisam se preocupar, basta utilizar uma versão atualizada de algum software na próxima vez que for usá-la.

O software de mineração RandomX permanecerá o mesmo, portanto a atualização não afetará os mineradores.

Isso pode afetar o preço?

Certamente uma moeda ter uma comunidade orgânica, ativa e que se preocupa com a otimização do protocolo é algo importante e que influencia a percepção do investidor.

Talvez a atualização não mude as perspectivas de curto e médio prazo do preço da Monero. Contudo, é muito importante ver que existe uma comunidade ativa trabalhando para o fortalecimento da moeda.

Para ficar por dentro dos próximos forks e atualizações entre canal no Telegram do Cointimes – por lá publicamos análises exclusivas e as principais notícias do dia.