A criptomoeda Monero é a favorita dos ativistas políticos, dos cibercriminosos e também da Coreia do Norte.

Conforme relatório da Insikt Group, uma divisão da empresa de cibersegurança Recorde Future, foi observado que a atividade da Coreia do Norte relacionada a mineração de Monero aumentou drasticamente nos últimos meses.

A análise foi baseada em “geolocalização de IP, Border Gateway Protocol (BGP), análise de tráfego, e ferramenta de inteligência open source (OSINT)”.

Hacking, games e mineração

Desde 2017 há notícias de que o grupo de hacker Lazarus, financiado pela Coreia do Norte, vem utilizando criptomoedas para financiar o regime.

“Para a elite política e militar norte-coreana, os dados de 2019 mostram que a Internet não é simplesmente uma atividade fascinante ou de lazer, mas é uma ferramenta crítica para a geração de receita, obtendo acesso a tecnologias e tecnologias proibidas e coordenação operacional.”, afirmou o relatório.

Além dessas atividades, eles também vendem “videogames falsificados, bots que roubam itens digitais, como armas, pontos e equipamentos, e revendem com fins lucrativos e além de descobrirem e venderam novas vulnerabilidades no software dos jogos

Contudo, hacking e games não são as únicas atividades do governo norte-coreano relacionada a criptomoedas. Eles também estão no lucrativo mercado de mineração.

Mineração de Monero aumenta em 10x

Enquanto o relatório diz que encontrou uma pequena atividade de mineração de Bitcoin que se manteve estável, foi notado um aumento de 10 vezes na mineração de Monero.

A vantagem de minerar Monero perante grande parte das outras criptomoedas é que não é necessário um hardware especializado para começar as operações. Literalmente qualquer pessoa com um computador potente pode participar da rede.

Veja também: Como minerar Monero em casa

Com isso o regime de Kim só precisa de máquinas comuns, mais fáceis de serem adquiridas no mercado. Além da capacidade de escalar as operações com hardware comum, a criptomoeda Monero oferece anonimato digital sem precedentes.

“… Acreditamos que esses dois fatores – o anonimato e a capacidade de mineração por máquinas não especializadas – provavelmente tornam o Monero mais atraente do que o Bitcoin para os usuários norte-coreanos.”

Também nos últimos meses vimos um aumento de 220% no hashrate do Monero. Isso aconteceu, muito provavelmente, devido à atualização do algorítimo de mineração que dá vantagens para quem usa processadores comuns.

Quer receber mais notícias e não depender do Facebook e Twitter para ficar informado? Entre no canal de Telegram do Cointimes.