Cobrimos a última reunião dos Core Devs do Ethereum, que ocorreu na sexta-feira, dia 29 de abril e discutiram sobre diversos pontos importantes referentes à atualização The Merge, incluindo Shadow Forks e Difficulty Bomb.

Reunião de Desenvolvedores Principais do Ethereum #137 (29/04/2022) – The Merge

A reunião, que aconteceu ao vivo no canal da Ethereum Foundation no youtube, reuniu alguns dos principais desenvolvedores do software em uma discussão de uma hora e meia sobre o que aconteceu no último Shadow Fork e quais os próximos passos para as próximas semanas.

Com novos testes e bombas de dificuldade (difficulty bomb) nos preparativos para o The Merge – que irá transformar o consenso do Ethereum em Prova de Participação (PoS – Proof of Stake), ao invés de Prova de Trabalho (PoW – Proof of Work).

Aqui na redação do Cointimes nós cobrimos a reunião e preparamos um rápido resumo, com os pontos principais levantados pela equipe responsável pela implementação desta nova fase da segunda maior criptomoeda por capitalização de mercado e do maior projeto blockchain de primeira camada da Web 3.0.

Shadow Fork (Fork das Sombras)

Shadow Fork é uma divisão da rede realizada de forma intencional por alguns nodes pré-selecionados pelos desenvolvedores principais em uma test net (rede de testes) privada, que normalmente antecede uma teste net pública, como a que ocorreu em março.

Saiba mais: Atualização da Ethereum para PoS está mais próxima do que nunca

No sábado, dia 23 de abril, ocorreu o terceiro Shadow Fork do mês, depois de lançada a Test Net e, segundo descrito por um dos devs na reunião, foi o mais “suave” até o momento, resultando em algumas descobertas interessantes, mas nada muito grave, o que é visto de forma positiva pela equipe sobre o avanço na direção da atualização The Merge.

O próximo Shadow Fork está programado para esta quinta-feira, 5 de maio e a expectativa é que ele seja o último antes do lançamento da nova testnet pública, colocando à prova todas as modificações feitas até o momento.

Captura de tela da reunião com os desenvolvedores do ethereum discutindo os próximo passos sobre o the merge com shadow fork e difficulty bomb

Sincronização de validadores para o The Merge

Um ponto de atenção que foi bastante discutido na reunião e deve tomar a atenção dos devs na quinta-feira está na sincronização dos nodes para validar o primeiro bloco emitido sob o novo mecanismo de consenso em proof-of-stake.

A equipe de desenvolvimento ressaltou a importância de que todos os validadores que aceitem a modificação devem estar totalmente sincronizados antes de que o primeiro bloco seja emitido, para evitar que outros nodes observadores entrem em uma espécie de “loop eterno”, ao não conseguir identificar um líder sincronizado na nova versão e fiquem trocando informações inválidas entre si.

Foram feitas algumas propostas de solução, mas basicamente chegou-se à conclusão de que isso dependerá da boa vontade dos nodes validadores em realizar o procedimento de maneira correta e que os demais nodes devem se atentar para seguir aqueles que já estejam completamente sincronizados com o restante da rede.

Caso os testes sejam um sucesso, a testnet é esperada para ocorrer no prazo de uma a duas semanas após o dia 05 de maio.

Difficulty Bomb (Bomba de Dificuldade)

Os desenvolvedores também discutiram sobre prioridades, quando questionados por “Jay Rush” sobre a necessidade de terem um prazo claro para a emissão da Bomba de Dificuldade e o próprio Vitalik Buterin ligou o microfone para dizer que a prioridade deve estar no desenvolvimento e na correção de bugs através do Fork das Sombras e da Testnet; ao invés da bomba.

Uma bomba de dificuldade é uma alteração no protocolo do Ethereum onde, de forma intencional, aumenta-se a dificuldade de mineradores proof-of-work conseguirem descobrir novos blocos, diminuindo também a quantidade de blocos por segundo emitidos na rede e, consequentemente, diminuindo o lucro dos mineradores que precisarão de mais recursos (CPU, energia e internet) para descobrir uma quantidade menor de blocos e ganhar menos recompensas em ETH.

A difficulty bomb tem dois objetivos:

  1. Controlar a inflação de Ether (ETH) já que:
    1. Com o tempo, a tendência é que mais mineradores estejam competindo com mais recursos e, portanto, descobrindo mais blocos em uma menor quantidade de tempo, aumentando o Block Time (Tempo de Bloco), que mede a quantidade de blocos descobertos por segundo.
    2. A bomba diminui o Block Time, voltando a níveis anteriores.
  2. Desincentivar que os mineradores continuem na rede que utiliza PoW (prova de trabalho) ao invés de migrar para a nova rede, pós The Merge, que utiliza PoS (prova de participação).

Block Time e seu impacto no preço do ETH

O Block Time ideal gira em torno de 12 a 14 blocos por segundo, mas sua tendência sempre é de alta.

Foi discutido que ao redor de 18-21 blocos por segundo começa a ser importante lançar a Bomba de Dificuldade, já que isso aumenta muito a inflação na rede e o mercado, normalmente, reage de forma bastante negativa, jogando o preço para baixo, ao passar a existir uma quantia muito alta de ether sendo despejado no mercado pelos mineradores.

De acordo com o próprio Vitalik na reunião, o Ethereum já viu block time ao redor de 20 blocos por segundo e “o mundo não acabou”. Então ele considera aceitável já que a emissão da bomba envolve deixar de fazer outras tarefas mais urgentes no momento.

Nenhuma data foi passada com clareza, mas segundo Jay Rush, analisando um gráfico que ele publicou no fórum dos desenvolvedores do ethereum, o prazo limite para a Difficulty Bomb estaria ao redor de 15 de julho, onde a rede deve observar block time superior a 18 BPS.

“O mundo irá nos dizer muito alto o que ele pensa sobre 20 segundos de block time, caso ocorra”.

Se referindo à esperada reação dos mercados.

gráfico sobre a bomba de dificuldade

No gráfico, o eixo da direita mostra o block time em ordem crescente (quanto mais baixo, maior) e os picos de queda (aumento do block time) ocorreram em momentos pontuais de atraso para lançamento de difficulty bombs anteriores.

Este evento fica totalmente dependente do sucesso dos testes e poderia ocorrer antes, ou depois do prazo estipulado em 15 de julho, como limite.

Um dos devs comentou que, durante o The Merge, é muito provável que a rede veja uma “corrida final” dos mineradores para lucrar o máximo possível sobre a rede antiga de proof-of-work e seria normal ver um block time superior a 30 blocos por segundo, mesmo com bombas de dificuldade sendo lançadas.

O que acha sobre as decisões? E sobre o The Merge?

Compartilhe sua opinião nas redes sociais!

Instagram | Telegram | Twitter | Facebook

Leia mais:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br