O Bitcoin pode estar em fase de transição, se solidificando como um ativo financeiro, e não mais somente um meio de pagamento na internet ou ouro digital. Mas o que isso significa para o preço do bitcoin (BTC)?

O conhecido analista de Bitcoin PlanB (1,7 milhão de seguidores), em abril de 2020, explicou como o seu polêmico modelo matemático de precificação do BTC poderia estar relacionado com as mudanças de narrativas do Bitcoin.

Apesar da tecnologia não ter mudado tanto, as pessoas tiveram percepções diferentes do Bitcoin ao longo do tempo. De acordo com os analistas Nic Carter e Hasu, o Bitcoin passou por 7 grandes narrativas na sua história, desde prova de conceito de dinheiro digital a ouro digital resistente à censura.

Fases do Bitcoin
As mudanças de narrativa do Bitcoin de 2009 a 2018: Prova de conceito e-cash; rede de pagamentos barata; moeda anônima da darknet; banco de dados programável e distribuído; moeda de reserva para criptos; ouro digital e ativo financeiro não-correlacionado. Fonte: Nic Carter.

Para PlanB, 4 destas narrativas foram bastante expressivas e relacionadas ao momento de mercado e o próprio stock-to-flow (seu famoso modelo baseado na taxa de escassez do BTC).

  • “Prova de conceito” -> depois do white paper do Bitcoin;
  • “Pagamentos” -> depois da paridade com o dólar (1 BTC = US$1)
  • “Ouro digital” -> depois do primeiro halving, quase em paridade com o ouro (1 BTC = 1 onça de ouro)
  • “Ativo financeiro” -> após o segundo halving (marca de US$1 bilhão em transações diárias, clareza legal no Japão e Austrália, mercado de futuros na CME e Bakkt)

Bitcoin como colateral, uma nova fase do BTC como ativo financeiro

Avançamos para 2022 e temos diversos outros motivos para acreditar que o Bitcoin está se consolidando como um ativo financeiro. Atualmente são 38 empresas de capital aberto que guardam BTC em seus tesouros. Coletivamente são 258.191 BTC em caixa de empresas listadas em bolsa.

Indo mais além, a análise publicada nesta segunda-feira (4) pela Glassnode levanta a tese de que o Bitcoin está sendo cada vez mais visto e usado como colateral do que nunca. E a MicroStrategy e a Fundação Luna estão reforçando isto.

“O mercado de Bitcoin tem visto várias semanas de acumulação historicamente forte, […]. Camarões e baleias são os acumuladores mais agressivos dos últimos tempos, com vários grandes compradores públicos, como LFG [Luna Foundation Guard] e MacroStrategy [subsidiária da MicroStrategy], adicionando ênfase renovada ao Bitcoin como garantia intocada.”

Conforme publicamos no dia 29 de março no Cointimes, a MicroStrategy usou bitcoins como garantia para tomar US$ 205 milhões de empréstimo (para comprar ainda mais bitcoins). No dia 21, mostramos como a LFG estaria comprando Bitcoin para servir como colateral alternativo da stablecoin UST.

Além disso, outros dados trazidos pela Glassnode reforçam essa tese. Hoje são mais de 275 mil bitcoins colateralizados na rede Ethereum em Wrapped Bitcoin (WBTC) e a demanda por fundos em bolsa continua aumentando como o Purpose Bitcoin ETF com 35.000 BTC e o ETF de Bitcoin do Canadá guardando 69 mil bitcoins.

No Brasil, as baleias agora podem aproveitar mais de R$300.000 de empréstimo com garantia em bitcoin com um produto recém lançado pela fintech Rispar.

“Com 19 milhões de bitcoins agora minerados e a acumulação geral excedendo a emissão diária em muitos múltiplos, a escassez e a natureza intocada do Bitcoin como garantia podem estar voltando ao primeiro plano mais uma vez.”, conclui a análise da Glassnode.

O caso otimista para o Bitcoin

Para entender o que isso pode representar para o futuro da criptomoeda, voltemos para a análise de PlanB de 2020. O anônimo trader encontrou uma relação das fases do Bitcoin com o preço do ativo, conforme gráfico abaixo:

Narrativas do BTC com o stock-to-flow

Cada uma das quatro áreas identificadas como importantes mudanças de narrativas podem coincidir com um nível de stock-to-flow (S2F) diferente. Essa métrica tem muita relação com o modelo de escassez do Bitcoin, baseado no halving.

Entenda mais lendo o artigo “Forbes destaca modelo de previsão de preços para Bitcoin: “Preciso”“.

Com um S2F relativamente baixo (3,3), o bitcoin era visto como meio de pagamentos na internet, conforme aumentou para 10,2 ele se aproximou da fase do ouro digital, e por aí vai.

Embora PlanB tenha, discutivelmente, se antecipado com a análise de narrativas, considerando que temos atualmente um Bitcoin com US$ 870 bilhões de capitalização de mercado e ainda estamos vendo a consolidação do BTC como ativo financeiro, as previsões são otimistas para este cenário.

Na época, ele escreveu que, de acordo com o modelo descrito, e a mineração dos 19 milhões de BTC em 2020-2024, o preço esperado para o BTC era de US$ 288 mil.

Em 2024 temos o halving para diminuir pela metade a criação de novos bitcoins por dia, o que deve facilitar uma alta de preços se a demanda por bitcoin se mantiver ou aumentar.

No entanto, apesar de um histórico incrível, as análises e modelos de PlanB não tem se mostrado infalíveis, com o famoso erro em novembro de 2021 após ter acertado em agosto, setembro e outubro com precisão.

Mas qual a sua opinião sobre a nova fase de narrativa do Bitcoin, como ela deve impactar o preço da criptomoeda? Deixe um comentário abaixo ou interaja conosco no Twitter e Instagram.

Veja mais:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br