Nesta segunda-feira (18) foi minerado o bloco 666.666 no blockchain do Bitcoin, e nele foi impresso uma passagem bíblica que fala sobre vencer “o mal”.

Nesse caso, conforme mostra o explorador de blocos Mempool Space, a mensagem não foi deixada por um minerador, mas por um usuário comum. Ele movimentou 0.01 BTC e distribuiu para 2 endereços, um que inicia com 1GoD… (Deus) e outro com 1BibLE… (Bíblia).

Em OP_RETURN script, onde o bitcoiner pode escrever qualquer informação, ele deixou o versículo bíblico de Romanos 12:21:

“Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.”

Obviamente, a transação sair no bloco 666.666 não foi uma coincidência, o usuário pagou a altíssima taxa de 135.800 satoshis (o equivalente a 50 dólares ou 260 reais, aproximadamente) para garantir que ela fosse confirmada nessa altura do blockchain. O seiscentos e sessenta e seis é definido como “o número da besta” por Apocalípse 13:18.

Como os usuários pagam as taxas em satoshis por byte, a inclusão da mensagem na transação a tornou ainda mais cara. E como o Bitcoin é pseudo anônimo, ou seja, os endereços não são vinculados a um nome, não sabemos quem fez isso ou quais suas intenções.

Como mensagens são deixadas nos blocos de Bitcoin?

Há uma parte em cada transação chamada de OP_RETURN script que permite até 80 bytes de informação arbitrária junto ao envio de bitcoins. Somente os softwares com opcionalidades mais avançadas permitem esse tipo de função, como a carteira Bitcoin Core.

Mas essa não é a única forma de imprimir para sempre uma mensagem no blockchain, a forma mais comum é por mineradores.

Quem já está familiarizado em como o blockchain funciona sabe que a cada bloco encontrado o minerador responsável ganha uma recompensa em bitcoin. Essa criação de moedas “do nada” tem uma particularidade interessante.

Normalmente uma transação de bitcoin é composta por uma entrada (de onde as moedas vem) e uma saída (para onde as moedas vão). A entrada (input) é geralmente originada por saídas não gastas de bitcoin (UTXO). Mas como no caso da recompensa por bloco essa transação não vem de lugar nenhum, o minerador pode escrever qualquer informação arbitrária nessa entrada, o que recebe o nome de coinbase.

É justamente aí onde os mineradores costumam se identificar (“minerador X encontrou esse bloco”) ou manifestar apoio para alguma atualização específica (“eu estou minerando e sinalizo apoio ao Taproot/Schnorr”). O coinbase do bloco gênesis do Bitcoin contém a famosa manchete do The Times deixada por Satoshi Nakamoto:

“The Times 03/Jan/2009 Chancellor on brink of second bailout for banks”

A mensagem pode ter servido como uma prova de que a data do bloco era confiável, afinal Satoshi não conseguiria saber que essa seria a notícia de capa do The Times antes de 3 de janeiro de 2009. Sabe aquelas fotos onde as pessoas estão segurando jornais para provar que a foto não é antiga?

Enquanto isso, porém, muitos acreditam que a frase escolhida pelo criador do Bitcoin serviu principalmente para mostrar sua indignação ao sistema financeiro atual, com suas injustiças escancaradas nos jornais. O principal motivo para a criação de sua moeda descentralizada. Um protesto silencioso e pacífico.

Veja também: Banda de rock Slayer aceita criptomoeda Monero


BitPreço, o maior marketplace da América Latina. Compare os preços das maiores exchanges do Brasil e do mundo, e compre Bitcoin, Ethereum, USDT e outras principais criptomoedas pelo melhor preço sempre.

Crie sua conta grátis agora!