Enquanto muitos ainda procuram encontrar os responsáveis pela enorme invasão ao Twitter desta semana, o investidor e CEO da Gemini Exchange Cameron Winklevoss afirmou que deveríamos prestar atenção em quem “repetidamente hackeia o dólar”.

“Ainda não sabemos quem invadiu o Twitter, mas sabemos quem “hackeia” (fraudar, invadir) continuamente o dólar dos EUA – o FED.”

Para os que não acompanharam a situação, é um comentário sobre as ações do Federal Reserve desde o começo da pandemia.

Nos EUA, o FED passou a emitir trilhões de dólares para serem injetados na economia, em uma medida desesperada de manter o status quo da sociedade norte-americana nos primeiros meses.

+LEIA MAIS: Justin Sun oferece US$ 1 milhão a quem encontrar hacker do Twitter

Em entrevista ao “60 Minutos”, o presidente do Federal Reserve de Minneapolis, Neel Kashkari, chegou a afirmar quehá uma quantidade infinita de dinheiro no Federal Reserve”, fazendo alusão ao potencial quase ilimitado de emitir dinheiro.

Começando com a emissão inicial de US$ 2.2 trilhões emergenciais, incluindo planos familiares e outros estímulos financeiros, parece não ter parado mais com as emissões, com uma das últimas sendo de quase US$ 5 trilhões.

+LEIA MAIS: Forbes: Trump e FED podem destruir o sistema bancário

Isso causou o dólar a criar um martírio econômico mundial, e o FED sendo acusado de apenas piorar a situação com medidas desreguladas que poderiam muito bem quebrar bancos americanos, com figuras que apontariam à hiperinflação da moeda.

McAfee culpa a Autenticação de Dois Fatores

Em um tweet oficial de John McAfee, afirma que a verdadeira culpa da invasão às inúmeras contas que ocorreram recentemente não são por causa da teoria do painel de administração invadido, mas sim pela “fraude trivial no sistema de A2F”.

“O HACK DO TWITTER

Posso ser doido, mas ainda sou o fundador da maior empresa de segurança de computadores do mundo e estou lhe dizendo:

A autenticação de dois fatores é a pior ameaça à segurança do Twitter. Ele expõe os usuários ao trivial hack da troca de SIM (chip de celular), na qual @Jack foi vítima de.

Acorde, Jack!”