A empresa de desenvolvimento de jogos mobile e online, Zynga, irá criar uma estrutura em blockchain conhecida como a “Gala Network”. Isso permitirá desenvolvedores a criar novos jogos e utilizar de ferramentas como a transferência de itens entre jogos diferentes.

Em entrevista ao VentureBeat, co-fundador Eric Schiermeyer, também expressa esperanças em ver startups como a Gala florescer projetos com a imutabilidade do blockchain e criptomoedas.

“Será uma experiência revolucionária para as pessoas, diferente de qualquer outra experiência que já vi. Quando você gasta dinheiro aqui, na verdade, recebe algo que pode guardar e talvez até doar a alguém. Você não pode fazer isso nos jogos tradicionais gratuitos (free-to-play) agora. […] Acho que quando as pessoas percebem que você não precisa aceitar essa situação e você pode possuir seus próprios itens, não vão jogar mais esses outros jogos.”

Por trás dos panos, a empresa de Schiermeyer Blockchain Game Partners irá se unir a Mike McCarthy, diretor criativo de FarmVille 2. Por outro lado, McCarthy está trabalhando no projeto Townstar, pela Gala Network.

Em suma, o jogador poderá criar, produzir ou comprar itens, facilitando a compra, venda e troca peer-to-peer de itens pelo Marketplace do jogo.

“Assim como jogos em rede e jogos sociais, acredito que os jogos blockchain são a próxima evolução nos games. Logo, ninguém jogará um jogo que é um buraco negro de tempo e dinheiro, se eles tiverem boas alternativas que permitam ao jogador manter a propriedade de seu tempo e dinheiro (reais).”

Por fim, Schiermeyer afirma que “é por isso que estamos trabalhando com um visionário como McCarthy”.

“Primeiro, queremos ser pioneiros com um jogo real de mercado de massa, e blockchain será um segundo distante.”

Ganância do Lucro a Curto Prazo

“Além disso, acreditamos firmemente que ajudaremos a transferir imensa riqueza – que acabaria nas contas bancárias da Apple, Google e Facebook – para pessoas reais.

No momento, a ganância míope das entidades corporativas está restringindo oportunidades no setor. Acreditamos que, ao dar aos jogadores um valor real, todo o ecossistema crescerá imensamente. Esta é uma mudança tectônica que está prestes a acontecer.”

É bom acrescentar ainda que não é a primeira vez que estamos a discutir sobre assuntos do tipo.

Por fim, em outro texto, já discuti sobre a ganância da Indústria dos Games, que, mesmo fazendo mais dinheiro que a Indústria dos Filmes e da Música juntos, continuavam a aplicar práticas exploratórias com microtransações in-game.

VER TAMBÉM: Top 10 itens de videogames mais caros da história